Publicidade
Opinião MKT

Sem acordo com a Globo, CBF terá Tv Brasil, Facebook e Pelé para os amistosos da Seleção

Iniciativa é parte de um projeto criado pela entidade para ser ela a responsável por gerar e fornecer o conteúdo aos canais

30 maio, 2017 Escrito por MKT Esportivo

Parece que a rejeição ao monopólio da Globo imposta pela dupla Atletiba fez com que a CBF aprendesse uma lição. Prova disso, é que a Confederação não chegou (ainda) a um acordo com a Rede Globo para este ano e irá inovar para a transmissão dos próximos dois jogos da Seleção Brasileira.

De acordo com a Folha, a Tv Brasil irá transmitir os amistosos contra Argentina e Austrália (9/6 e 13/6, respectivamente), e ainda contará com Nivaldo Pietro na narração e Pelé como comentarista. Ainda segundo a publicação, a iniciativa é parte de um projeto criado pela CBF para ser ela a responsável por gerar e fornecer (pagando pelo espaço) o conteúdo do selecionado para os canais que desejar. Em ambos casos, a bola irá rolar a partir das 7 da manhã.

[Adquira aqui] Curso Online MKT Esportivo para Iniciantes

Se perde em audiência, alcance e qualidade de transmissão, no âmbito comercial, espera-se que desta maneira os jogos gerem (ainda) mais receita aos cofres da entidade. A Vivo, por exemplo, estuda a distribuição via celular, enquanto o Itaú também poderá distribuir os duelos no âmbito digital. A Folha afirma que os atuais patrocinadores da CBF terão exposição durante as partidas e novas empresas (que não sejam concorrentes das anteriores) podem fechar pacotes pontuais

Voltando ao aprendizado imposto pela dupla Atletiba, o Facebook deve entrar como parceiro de mídia e ativar o Live, sempre de olho no seu objetivo de rivalizar em pé de igualdade com Twitter e Amazon. A rede de Mark Zuckerberg venderá cada cota de publicidade pelas duas partidas por R$ 2.3 milhões, sendo R$ 1.8 milhão para a plataforma e R$ 500 mil para a CBF.

Toda a operação estará sediada no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro, casa da CBF, com profissionais sendo enviados à Melbourne para uma cobertura in loco. Acusações, escândalos e retaliações à parte, vale exaltar este modelo ativado pela entidade seguindo uma tendência absolutamente mundial no que tange a geração de conteúdo próprio. Até quando irá durar, não sabemos.

Neste contexto, a Globo anunciou que Renato Ribeiro deixará o cargo de diretor-geral da Central Globo de Esporte. O profissional será substituído provisoriamente por Roberto Marinho Neto, atual diretor geral de esportes do grupo.