Indústria

Por que a Ligue 1 irá atrasar a concorrência pelos seus direitos de transmissão?

Inicialmente marcada para dezembro, LFP iniciará negociações apenas no primeiro trimestre de 2018

2 nov, 2017

Ligue de Football Professionnel, entidade responsável por gerir as principais divisões do futebol francês, tinha como objetivo adiantar a concorrência pelos direitos da Ligue 1 pelo período de 2020 a 2024 para dezembro deste ano. Fato que não irá mais ocorrer.

O Canal + e o BeIn Sports, que perderam os direitos de transmissão da UEFA Champions League e Europa League, desejam mais tempo para que possam preparar suas ofertas. Outros dois interessados, o SFR Sport e o grupo Altice, solicitaram o mesmo. Desta maneira, os responsáveis pela primeira divisão devem esperar até o primeiro trimestre de 2018 para iniciar as negociações.

Para solo francês, o objetivo da LFP é dobrar suas receitas de broadcastingatingir € 1.5 bilhão por ano. Atualmente, pelo contrato doméstico, a Ligue 1 recebe € 727 milhões por temporada do Canal+, atual detentor. À época, o grande atrativo da liga era Zlatan Ibrahimovic. Já para o mercado global, a beIN paga € 32.5 milhões pelos direitos. A partir de 2018, e até 2024, o novo acordo já está fechado e pulará para € 80 milhões anuais.

A nova pedida atende por um nome: Neymar Jr. Após a chegada do brasileiro ao PSG, a liga francesa entrou de vez no radar da imprensa boleira mundial fazendo com que atraísse muita exposição, atenção de veículos de comunicação e interesse dos fãs. Para o Canal+, por exemplo, o impacto foi imediato. No Brasil, o mesmo efeito foi percebido pelo Sportv.

neymar_psg