Indústria

Especial | Um panorama do mercado de naming rights na Premier League

Estudo Stadium Naming Rights apresenta uma avaliação global sobre as taxas de mercado deste tipo de patrocínio

15 fev, 2018

Absolutamente consolidado no esporte norte-americano, mesmo em uma das ligas de futebol mais badaladas do mundo, a venda dos naming rights segue como grande desafio dos profissionais da Premier League. O estudo Stadium Naming Rights feito pela Duff & Phelps apresenta uma interessante avaliação global sobre as taxas de mercado deste tipo de investimento na primeira divisão da Inglaterra.

De acordo com o levantamento, a valorização desta categoria de patrocínio aumentou 80% nos últimos quatro anos, saltando de £ 74.6 milhões em 2013 para £ 135.6 milhões em 2017.

Ainda que não tenha nenhum acordo do tipo em seus 108 anos de história, Old Trafford foi considerado o estádio mais valioso caso o Manchester United abrisse negociações pelos seus direitos de nomeação. A Duff & Phelps levantou que os Red Devils poderiam gerar £ 26.2 milhões por temporada com naming right, quase £ 7 milhões a mais que o rival Manchester City embolsa da Etihad Airways.

Dos £ 135.6 milhões potencialmente atribuídos aos naming rights dos estádios da Premier League, se comercializados, os dois clubes de Manchester representariam 33% do valor, com os cinco de Londres (Arsenal, Tottenham, Chelsea, West Ham e Crystal Palace) outros 40% do total. Apesar do favorável cenário para a comercialização da plataforma, hoje, “apenas” 40% dos clubes da elite inglesa possuem empresas nomeando suas casas.

Para chegar ao resultado, a empresa utilizou critérios como patrocinador máster e de fornecimento, números seguidores nas redes sociais, valores de direitos de TV e de naming rights (caso possua), além do resultado esportivo dentro de campo nas últimas três temporadas.