Patrocínio

A representatividade dos patrocínios esportivos na TV dos Estados Unidos

Eventos e conteúdos relacionados ao esporte ocuparam 134 mil horas na programação. NBA se destacou entre as ligas

6 mar, 2018

A Nielsen apresentou recentemente um estudo detalhando o valor dos patrocínios esportivos alcançado pela televisão dos Estados Unidos. Compreendendo os doze meses de 2017, as receitas superaram os US$ 7.35 bilhões, um aumento de US$ 54 milhões em relação a 2016. Um fator fundamental para o incremento foi o tempo de conteúdo de TV gerado, que ficou em cerca de 134 mil horas.

Sempre de acordo com o estudo, milhares de marcas com sedes espalhadas pelo mundo vislumbraram nos eventos esportivos uma relevante maneira de alcançar seus objetivos e chegar ao público-alvo.

O crescimento deste setor no país, que como se sabe ocorre há muitos anos, se deve principalmente ao tempo em que o conteúdo dos patrocinadores fica exposto nos eventos, programas e noticiários. Este período saltou de 31 mil horas em 2002 para 84 mil horas em 2012. Em 2017, as 134 mil horas já citadas.

Mesmo marcas de setores que não têm tradição no esporte local, como bancos, serviços financeiros e seguros de saúde, aumentaram em 8% seus investimentos nos últimos três anos. Por outro lado, players do ramo de tecnologia aparecem na liderança, seguidas dos videogames (como Sony e demais envolvidos nos eSports) e marcas de eletrônicos.

Entre as ligas, a NBA lidera no quesito patrocínio. MLB e NHL completam o TOP 3. Espanta a presença da NFL apenas na quinta colocação, atrás da Nascar. A imprensa especializada coloca na conta das polêmicas que a liga registrou na última temporada o principal motivo para a queda. Relembre o contexto aqui.