Indústria

Equipes B: solução para revelar jogadores e ainda contratar grandes craques?

Tema está em discussão em toda Europa. Em Portugla, Benfica foi o que mais arrecadou com vendas nos últimos cinco anos

4 abr, 2018

Por Patrick Oliveira, direto de Portugal

 

Em toda a Europa, está em discussão como as principais equipes nacionais conseguem desenvolver jovens jogadores e ainda contratar os principais craques do mundo.

Na Inglaterra, por exemplo, utilizam-se campeonatos sub-23, a Premier League 2, que os clubes ingleses disputam com atletas mais novos; e a Premier League International Cup U23, que contempla diversos convidados, como Porto e Benfica, em Portugal, Herta Berlim e Wolfsburg, na Alemanha, além de Villarreal e Athletic, na Espanha.

No futebol português, os grandes clubes possuem “Equipes B”, formadas, em sua maioria, por jovens jogadores e também os que não estão sendo aproveitados no elenco principal. Dos considerados grandes (Porto, Benfica, Sporting, Vitória de Guimarães e Braga), a disputa da segunda liga nacional é feita com os demais clubes utilizando seus elencos principais.

Por outro lado, a equipe B é proibida de figurar na mesma divisão da principal e têm um número mínimo de dez jogadores formados localmente, todos entre os 15 e 21 anos de idade. Além disso, é necessário que eles estejam inscritos na Federação há, pelo menos, três temporadas.

No âmbito financeiro, esse formato tem sido válido para os participantes. De acordo com a Liga Portugal, apenas com os jogadores que passaram pelas “Equipes B”, foram registrados aproximadamente € 375.1 milhões (R$ 15 bilhões) em transferências de 2012 a 2017. Destaque para o Benfica (quadro acima).

Os brasileiros poderiam mirar neste exemplo para desenvolver e revelar jogadores, aproveitando-se do fato dos mesmos estarem disputando uma competição com nível profissional. Até mesmo utilizar os campeonatos estaduais ou criar alguma forma de disputa que as equipes possam colocar os jovens para ganhar experiência contra equipes menos favorecidas financeiramente.