Publicidade
Patrocínio

Anheuser-Busch InBev irá revolucionar o atual modelo de patrocínio no esporte

Gigante cervejeira fechará acordos que renderão mais aos clubes e ligas conforme um aumento real da entrega à marca

14 maio, 2018 Escrito por MKT Esportivo
Array
(
    [share] => Array
        (
            [comment_count] => 0
            [share_count] => 44
        )

    [og_object] => Array
        (
            [id] => 1680068132068883
            [type] => website
            [updated_time] => 2018-05-14T15:50:19+0000
        )

    [id] => http://www.mktesportivo.com/2018/05/anheuser-busch-inbev-ira-revolucionar-o-atual-modelo-de-patrocinio-no-esporte/
)

Compartilhe

  • Linkedin
    Linkedin
  • whatsapp
    Whatsapp
56Total

A Anheuser-Busch InBev irá mudar completamente o seu atual modelo de patrocínios e buscará revolucionar a indústria do esporte. A mudança fará com que a companhia feche acordos que renderão mais aos clubes e ligas conforme um aumento da entrega real para a marca. A Adweek Forbes destacou esta mudança com exclusividade.

De acordo com a gigante cervejeira e ambas publicações, os critérios de entrega irão variar de acordo com o perfil e mercado do patrocinado. O objetivo não será reduzir os aportes, mas oferecer bônus de até 30% em fatores como aumento de público nos estádios, engajamento nas mídias sociais, desempenho esportivo, entre outras métricas.

Importante destacar que nenhum aporte será rompido. O alinhamento ao novo modelo visa novos acordos e renovações, como foi o caso da chegada da Budweiser na Nascar, como adiantamos em março.

A Forbes e a Adweek destacam ainda que esta mudança tem sido liderada pelo brasileiro João Chueiri, vice-presidente de conexão com o consumidor na AB InBev. O profissional já passou pela Nike no cargo de diretor de marketing durante a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos no Brasil.

Nick Kelly, diretor de marketing esportivo da AB InBev para os Estados Unidos, comentou na IEG 2018, conferência de patrocínio esportivo que acontece anualmente em Chicago, esta nova fase da InBev no esporte. “Nós não precisamos de exposição e conhecimento de marca, e nós não queremos competir com todas as outras marcas. O que nós temos conseguido fazer é focar em engajamento, criando ativações que ninguém mais pode criar. Trazendo algo autêntico para um momento em que faz sentido contar a nossa mensagem”, comentou.

“Nós nunca vamos aumentar os US$ 250 milhões que gastamos anualmente sem um aumento no retorno sobre o investimento. É obrigatório que todos os times façam um acordo para que possamos fazer crescer a parceria”, completou.

O profissional foi além ao detalhar os novos desafios para a empresa, que tem acompanhado de perto o distanciamento dos millennials das plataformas digitais mais tradicionais à diminuição da venda de cerveja nos estádios.

Comentários