Publicidade
Patrocínio

Patrocínio na camisa impulsiona receitas da NBA

Os ganhos da liga e das 30 equipes valorizaram 31%, alcançando a histórica marca de US $ 1.12 bilhão em 2017/2018

16 maio, 2018 Escrito por MKT Esportivo
Array
(
    [share] => Array
        (
            [comment_count] => 0
            [share_count] => 57
        )

    [og_object] => Array
        (
            [id] => 1742665909154701
            [type] => website
            [updated_time] => 2018-05-16T11:12:14+0000
        )

    [id] => http://www.mktesportivo.com/2018/05/patrocinios-de-camisa-impulsionam-receitas-da-nba/
)

Compartilhe

  • Linkedin
    Linkedin
  • whatsapp
    Whatsapp
70Total

Por Eduardo Esteves

 

Já era esperado que a decisão da NBA de permitir patrocinadores nas camisas refletiria em um substancial aumento de receitas. Combinados, os contratos foram os principais responsáveis por impulsionar os ganhos da liga em mais de US $ 1 bilhão pela primeira vez em sua história.

Em relação a última temporada, segundo pesquisa divulgada pela IEG/ESP, os ganhos da liga e das 30 equipes incrementaram em 31%, alcançando a histórica marca de US $ 1.12 bilhão. Em comparação, o aumento de aportes em outras ligas da América do Norte foi, em média, de 4,5%.

De todas as franquias, 21 venderam o espaço disponível em suas jerseys, o que representa US$ 137 milhões do total obtido (média de US$ 6.5 milhões). Esse número representa um aumento de 16% na receita total de patrocínio da NBA.

De todos, o Golden State Warriors foi o que obteve o contrato mais lucrativo. A Rakuten fechou com a equipe de Stephen Curry e investe US$ 20 milhões por ano, o dobro da Goodyear no Cleveland Cavaliers.

Sobre os ganhos da liga, a temporada 2017/2018 representou a primeira da Nike no fornecimento exclusivo de uniformes. Segundo consta, o swoosh paga mais do que o dobro do que a Adidas investia durante o período que ficou responsável pelo fornecimento das peças. Há ainda a renovação com a Verizon, que leva a transmissão de algumas partidas ao Yahoo Sports, via streaming. Também para o âmbito digital, destaca-se o pioneiro acordo com a YouTube Tv, que inclui o patrocínio da apresentação das finais da NBA, WNBA, liga de desenvolvimento, entre outros ativos. Headspace, Heroic Sport e Rakuten foram outras novidades comerciais no período.

Sem surpresas, a categoria de seguros segue como a mais popular dentro da liga. As seguradoras são cinco vezes mais propensas a investir na NBA do que a média das demais. Montadoras e redes de fast food completam o TOP 3. Destaque negativo para as cervejarias, que caíram duas posições e ocupam a sexta posição.

Por fim, a State Farm segue como a maior patrocinadora, presente em 68% das propriedades disponíveis. Gatorade (58%), Tissot (45%), Coca-Cola (42%) e Kia Motors/Fanduel (39%) completam o TOP 5. Entre as novidades do ranking, Comcast, Papa John’s e a Molson Coors desbancaram a Adidas, McDonald’s e a Lexus na atual temporada.

Comentários