Publicidade
Atletas

Com Fernando Alonso, 500 milhas de Indianápolis terá presença da McLaren

O piloto espanhol já disputou a Indy 500 em 2017 pela Andretti Autosport

13 nov, 2018 Escrito por MKT Esportivo

A McLaren anunciou que marcará presença nas 500 Milhas de Indianápolis, uma das provas mais tradicionais do esporte e que faz parte do calendário da Fórmula Indy. No curto prazo, o objetivo da equipe é utilizar a Indy 500 como plataforma de visibilidade para a marca.

A entrada da britânica foi motivada pela presença de Fernando Alonso, já que o piloto espanhol irá se aposentar da Fórmula 1 neste ano. Em 2019, o piloto tentará entrar para a história do automobilismo ao conquistar a “Tríplice Coroa do Automobilismo”, que contempla vencer o GP de Mônaco, a 24 Horas de Le Mans e 500 Milhas de Indianápolis. De todas, Alonso venceu Mônaco por duas vezes (2006 e 2007) e a prova de Le Mans em junho deste ano. Até hoje, apenas Graham Hill conseguiu o feito.

“É toda uma equipe de corrida separada que será criada. Somos uma grande equipe de corrida com muitos recursos, e estou extremamente confiante, ou não teríamos entrado, de que daremos o máximo de esforço para a F1 e para o esforço da Indy 500 sem um comprometer o outro. Serão pessoas que não estão atualmente na nossa equipe de F1. Tudo será construído a partir de relacionamentos que temos. Mas, sim, será uma nova porta de entrada da McLaren”, disse Zak Brown, CEO da escuderia.

“Eu tive uma experiência incrível em Indianápolis em 2017 e sabia que, no fundo do meu coração, tinha que voltar se a oportunidade aparecesse. Estou especialmente feliz por retornar com a McLaren. Essa foi sempre a minha primeira escolha. É uma corrida difícil, e vamos enfrentar os melhores, então será um grande desafio. Mas nós somos pilotos e é por isso que corremos”, comentou Fernando Alonso.

O piloto espanhol, por sua vez, já disputou a Indy 500 em 2017 pela Andretti Autosport. À época, a McLaren apoiou a equipe, sem envolvimento direto além de estampar sua marca no carro. Para o ano que vem, a promessa é que a britânica tenha mais influência.