Publicidade
Indústria

Sócios do Real Madrid esgotam lote de ingressos para a final da Libertadores

Empolgados por receberem a partida, merengues adquiriram todos os sete mil ingressos ao qual têm direito

3 dez, 2018 Escrito por MKT Esportivo

Apesar do imbroglio envolvendo a finalíssima da Libertadores sobre ter ou não a segunda partida, os ingressos estão sendo vendidos normalmente. Para um grupo de torcedores, o lote de entradas esgotou-se rapidamente.

Empolgados por receberem o maior clássico argentino em sua casa, os sócios do Real Madrid adquiriram todos os sete mil ingressos ao qual têm direito. E isso em apenas uma hora. Cada membro poderia comprar até duas entradas, com os preços variando entre € 80 (R$ 350) e € 220 (R$ 963).

Durante o final de semana, a Conmebol explicou como seria a divisão de ingressos na final. Para residentes da Argentina, com a justificativa da segurança, apenas cinco mil entradas serão comercializadas para cada clube. No entanto, foi definido que os finalistas podem ter até 25 mil ingressos cada, totalizando 20 mil entradas que serão vendidas no próprio site da entidade para quem não vive no país sul-americano. O restante da carga total de 72 mil será dividido entre patrocinadores, VIPs e grande público.

Em entrevista coletiva neste sábado (1), Gianni Infantino, presidente da Fifa, falou sobre ter presenciado a confusão entre River x Boca no Monumental e também sobre a segunda partida ter sido transferida para a Espanha.

“A Conmebol vai ter que tomar uma decisão. Minha convicção é que tem que ser jogada. A bola não pode parar. Eu realmente queria ver esse Superclássico, um jogo que qualquer torcedor quer ver uma vez na vida… e eu saí muito triste”, disse Infantino. “Existem uns idiotas que arruinaram a festa. É preciso encontrá-los e tirá-los”, completou.

“O futebol é baseado em associações nacionais que jogam suas competições em seus países e competições continentais que jogam em seus continentes e depois na Fifa, que pode disputar suas competições em todos os lugares. Este é um dos pontos fortes do futebol que devemos proteger. Só que esta é uma situação excepcional. É um jogo que já tem uma enorme rivalidade e não poderia ser jogado”, finalizou.