Patrocínio

Austrália exige, e Ferrari e McLaren retiram empresas de tabaco dos carros

Mission Winnow e British American Tobacco voltarão na segunda prova da temporada

14 mar, 2019

Por conta da pressão exercida pelo Departamento de Saúde da Austrália, duas equipes da Fórmula 1 irão retirar o patrocínio de empresas de tabaco dos seus carros na abertura da temporada 2019, em Melbourne, no próximo dia 17 de março.

A Mission Winnow, que estampa as principais áreas do carro da Ferrari, e a British American Tobacco (BAT), que figura no modelo da McLaren, deixarão de promover suas marcas na prova da Oceania.

No caso dos italianos, desde outubro do ano passado, a Philip Morris, dona da marca Marlboro, passou a utilizar uma campanha com a Mission Winnow na F1. Desde que começou a proibição a propagandas de tabaco na categoria em 2007, a Philip Morris segue com a Ferrari, mas acabou dando um jeito de “aparecer” novamente.

Mesmo assim, o Departamento de Saúde da Austrália entende que usar a marca Mission Winnow contradiz as regras da Fórmula 1 de proibição do tabaco. Desta maneira, exigiu a retirada da marca dos carros, macacões e capacetes da equipe. Por conta do veto, apenas na Austrália, a Ferrari utilizará o seu nome tradicional: Scuderia Ferrari. Para o local, haverá uma homenagem aos 90 anos de sua fundação.

Já a BAT lançou sua promoção “A Better Tomorrow” como parte de uma parceria global com a McLaren iniciada no mês passado. No entanto, à exemplo da Philip Morris, não irá figurar no GP australiano e, de maneira pontual, dará lugar à loja de conveniência americana Seven Eleven.

Na Austrália, pela Lei de Proibição da Publicidade ao Tabaco de 1992, “proíbe-se anúncios de tabaco que incluam qualquer texto escrito, imóvel ou em movimento, sinal, símbolo ou outra imagem visual, ou qualquer mensagem audível que dê publicidade ou promova ou tenha a intenção de promover o fumo ou a compra ou uso de um produto de tabaco. Isso inclui marcas registradas relacionadas ao tabaco”.