Indústria

NBA e YouTube ampliam parceria para incluir continente africano

Os 48 países que formam a África subsaariana terão as transmissões de dois jogos ao vivo por semana na plataforma

21 mar, 2019

Como meta de alcançar o mercado africano, principalmente após uma parceria com a Fiba para criar um torneio profissional no continente visando incentivar o esporte e descobrir talentos, a NBA anunciou a extensão de sua parceria com o YouTube.

Os 48 países que formam a África subsaariana (situados ao sul do Deserto do Saara), terão as transmissões de dois jogos ao vivo por semana na plataforma. Além disso, os fãs da região poderão desfrutar de um programa semanal e documentários sobre jogadores e ex-jogadores africanos que já passaram ou atuam no basquete americano.

“Este canal é outro marco para a NBA na África e permitirá que os torcedores vejam partidas ao vivo e também sob demanda”, disse Amadou Gallo, diretor geral da competição na África.

O novo canal, que trará partidas da temporada regular como também dos playoffs, dará o pontapé inicial com Charlotte Hornets x Boston Celtics e Los Angeles Clippers x New York Knicks.

Entre os 48 países que poderão acompanhar conteúdos e duelos da NBA ao vivo estão África do Sul, Angola, Cabo Verde, Camarões, Etiópia, Gana, Máli, Moçambique, Nigéria, Quênia, República do Congo, República Democrática do Congo, Senegal, Serra Leoa, Somália, Sudão, Zâmbia e Zimbábue. No continente, a NBA abriu seu primeiro escritório em 2010 e, em 2017, inaugurou sua primeira academia.

Parceiros desde 2005, NBA e YouTube renovaram o acordo no ano passado para que a plataforma pudesse transmitir as finais da NBA e  WNBA. Até aqui, o canal gerou mais de 5.4 milhões de visualizações.