Publicidade
Indústria

Clubes da Premier League gastaram £ 260 milhões em comissão de agentes

Liverpool lidera o ranking com £ 43.8 milhões pagos aos intermediários

11 abr, 2019 Escrito por MKT Esportivo

Os clubes da Premier League pagaram aproximadamente £ 260 milhões para os agentes num período de doze meses. O número representa um aumento de £ 49 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior.




O Liverpool, que gastou quase o dobro do valor desembolsado pelo Manchester United em reforços, aparece na liderança do ranking com £ 43.8 milhões pagos aos agentes entre fevereiro de 2018 e janeiro de 2019, o que inclui as duas últimas janelas de transferências. No período, chegaram jogadores de peso, como
os brasileiros Alisson e Fabinho, Naby Keita, Xherdan Shaqiri eVirgil van Dijk. Chelsea (£ 26.8 mi), Manchester City (£ 24.1 mi), Manchester United (£ 20.7 mi) e Everton (£ 19.1) completam o TOP 5.

Por outro lado, espanta o crescimento do montante desembolsado por Fulham e Wolverhampton. O primeiro, já rebaixado para a segunda divisão, gastou £ 8.2 milhões com agentes, incremento de 239% ao relação ano anterior. Já o segundo também apresentou um enorme aumento (223.8% – £ 6.4 mi), mas ocupa a oitava posição na elite inglesa e está na final da FA Cup.

Recentemente, o jornal britânico Daily Mail destacou que a Premier League e a Football Association querem introduzir novas regras aos trabalho destes profissionais a partir da próxima temporada. A medida visa impedir que o mesmo agente seja pago pelo clube e pelo jogador em uma única transferência.

No geral, o futebol inglês gastou £ 318 milhões em intermediários, um aumento de £ 60 milhões entre os últimos doze meses. Diante dos números, a Football Supporters’ Federation (Federação dos Apoiadores de Futebol) já pediu mais transparência em como o dinheiro tem sido gasto.

“Muitos vão achar o volume de dinheiro chocante, particularmente em um momento em que muitos clubes da liga inferior estão em sérias dificuldades financeiras. Embora os defensores apoiem que os jogadores tenham representantes que cuidam de seus interesses, eles lutam para entender a justificativa para algumas dessas taxas astronômicas vistas hoje. Maior transparência e responsabilidade é necessária”, disse um porta-voz da federação.