Indústria

Com patrocínio da Heineken, Holanda voltará ao calendário da Fórmula 1

O lendário circuito de Zandvoort recebeu 30 corridas da categoria de 1952 a 1985

14 maio, 2019

A Fórmula 1 confirmou que está de volta aos Países Baixos pela primeira vez desde 1985. O lendário circuito de Zandvoort será integrado ao calendário a partir da temporada de 2020 e permanecerá por três temporadas.

Motivado pela rápida ascensão do piloto holandês Max Verstappen na Red Bull Racing, a categoria se movimentou fortemente nos bastidores para devolver o automobilismo à Holanda. Zandvoort recebeu 30 corridas de F1 de 1952 a 1985.

O local será reconstruído nos próximos meses com a ajuda da prefeitura de Zandvoort e vários outros parceiros. A pista e a infraestrutura serão modificadas para atender aos padrões definidos pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). A holandesa Heineken, patrocinadora oficial da Fórmula 1, será a parceira principal do Grand Prêmio holandês.

“Desde o início do nosso mandato na Fórmula 1, dissemos que queríamos competir em novos locais, respeitando também as raízes históricas do esporte na Europa. Nos últimos anos, vimos um ressurgimento do interesse pelo automobilismo na Holanda, principalmente devido ao entusiasmado apoio ao talentoso Max Verstappen. Sem dúvida, o laranja será a cor dominante nas arquibancadas do Zandvoort no ano que vem”, destacou Chase Carey, presidente e diretor executivo da categoria.

“Para atender aos desejos da Fórmula 1 e aos padrões exigidos pela FIA, o circuito e a infraestrutura serão modernizados dentro de algumas áreas, com o trabalho concluído bem antes da corrida em 2020. Além disso, o município de Zandvoort investiu recentemente para melhorar o acesso ao município e ao circuito”, completou Jan Lammers, diretor esportivo da Dutch Grand Prix (DGP).

Espera-se que a prova na Holanda ocupe a vaga que pertence atualmente a Espanha, cuja corrida ocorre em Barcelona. O contrato com o Circuito da Catalunha expirou após o GP do último final de semana e é um dos vários locais cujo futuro é incerto. Grã-Bretanha, Alemanha, Itália e México também não sabem se permanecerão em 2020. Já Vietnã sediará uma corrida de F1 pela primeira vez na sua história no próximo ano.

Vale lembrar que, desde que assumiu o controle da F1, a Liberty Media tem focado na estratégia de tentar levar o campeonato a novos mercados. Além do Vietnã e Holanda, especula-se que a categoria possa ter provas em países como Argentina e Dinamarca em breve, além de uma segunda corrida nos EUA, em um circuito de rua em Miami. Recentemente, a África do Sul foi mais um país a entrar no radar da Liberty Media. No Brasil, São Paulo possui contrato até 2020, mas já recebe a concorrência do Rio de Janeiro.