Patrocínio

Caixa renova com Comitê Paralímpico e terá naming right do CT

O agora Centro Paralímpico Brasileiro Caixa promoverá a iniciação anual de 550 crianças com deficiência

20 jun, 2019

Apesar de sua saída do futebol, Caixa seguirá como patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Um evento realizado no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, oficializou a renovação. Pelo novo acordo, o local passará a ser chamado de Centro Paralímpico Brasileiro Caixa e terá como principal objetivo a inclusão social de pessoas com deficiência (PcD) por meio de atividades esportivas, culturais e educativas.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, o governador de São Paulo, João Doria, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e o presidente do CPB, Mizael Conrado, estiveram na cerimônia de assinatura do contrato. A nova parceria com o CPB integra as ações da CAIXA como o Banco da Inclusão, “que se propõe a criar oportunidades para todos os brasileiros, estimulando a inclusão e a cidadania, sem distinção”.

Para o médio prazo, a Caixa planeja abrir centros de inclusão espalhados pelo país. Além de promover atividades esportivas, os centros também oferecerão palestras, oficinas para iniciação cultural, e educação financeira e ambiental, entre outras iniciativas de inclusão e integração social.

“Esse projeto representa um incentivo extraordinário, no valor de R$ 10 milhões, para o Centro Paralímpico Brasileiro. É um investimento para o Brasil”, disse João Doria.

“Reforçamos o posicionamento da Caixa como o Banco da Inclusão e o seu interesse em fortalecer as políticas públicas paradesportivas como instrumento de inclusão social”, disse Pedro Guimarães.

“Este momento é ímpar, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, me garantiu que projetos de iniciação esportiva como o que é desenvolvido aqui em São Paulo serão replicados em todo o Brasil”, comentou Jair Bolsonaro.

“O esporte é a garantia da inclusão e da cidadania para este grupo importante para a sociedade, que são as pessoas com deficiência. Mais que um espaço para o alto rendimento, o Centro de Treinamento tem se transformado em uma casa de inclusão, porque o CT é a base das Paralimpíadas Escolares, maior evento do mundo para crianças com deficiência, e é a base também da capacitação de profissionais de educação física. Celebramos hoje a ampliação da nossa parceria com a Caixa”, completou Mizael Conrado.

Para o agora Centro Paralímpico Brasileiro Caixa, a ideia é realizar a iniciação anual de 550 crianças com deficiência que sejam alunas das redes públicas municipal e estadual, e que tenham de 10 a 17 anos. O projeto oferecerá oito modalidades. São elas: atletismo, natação, judô, futebol de 5, vôlei sentado, bocha, goalball e tênis de mesa. O projeto atenderá também adultos e idosos, além de funcionários da Caixa com deficiência.

Apesar do afluxo da instituição financeira do futebol, além do CPB, a Caixa manteve até agora os contratos que já estavam em andamento, como a Liga Nacional de Basquete (LNB) e Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).