Indústria

Doria vetará projeto que pede a volta da cerveja aos estádios de SP

Assembleia Legislativa de São Paulo havia aprovado lei e dependia da sanção do governador

14 jun, 2019

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou o projeto de lei que volta a permitir o consumo de bebidas alcoólicas em estádios de futebol do Estado. No entanto, o governador João Doria Jr. já adiantou que irá vetar a PL. O texto, aprovado por deputados na quinta-feira (13), dependia da sanção do tucano.

Segundo Doria, “o projeto é inconstitucional”. “Sendo inconstitucional, o governador não pode sancionar. Irei vetar”, disse nesta tarde (14).

A venda, distribuição e o consumo de bebidas alcoólicas foram proibidos no estado dentro de um raio de até 200 metros da entrada dos estádios de futebol do estado de São Paulo em 1996 por meio da lei estadual 9.470/96. O atual projeto é de autoria do deputado estadual Itamar Borges (MDB) e contemplava a comercialização da bebida em copos de 500 ml entre 1h30 antes do jogo e até 1h após o fim da partida.

“Essa iniciativa nasceu de uma demanda dos pequenos clubes do interior que passam por uma crise financeira. Essa lei, além de auferir renda durante as partidas, vai auferir patrocínio, uma vez que as empresas do setor de bebidas estão entre os maiores patrocinadores de futebol do País. A venda de bebidas alcoólicas não implica necessariamente em acréscimo da violência dentro e fora dos estádios”, disse Itamar Borges.

Para a Copa América, apenas Salvador, Belo Horizonte e Rio de Janeiro estão liberadas para vender cerveja. Já na Copa do Mundo no Brasil, para atender interesses comerciais da Fifa, foi criada a Lei Geral da Copa, que permitiu que o álcool fosse vendido livremente mesmo nas cidades em que a venda dentro de estádios era proibida. À época, a Budweiser era a dona da categoria e desfrutou de ampla exposição durante o Mundial.