Atletas

Iván Zamorano revela os bastidores do “1+8”

Chileno se viu obrigado a alterar o seu número por conta da chegada de um badalado jogador

30 jun, 2019

Uma das passagens mais emblemáticas da liga italiana remete a uma atitude de Ivan Zamorano durante um período de sua passagem pela Inter de Milão. Dono absoluto da 9 desde sua chegada ao clube, vindo do Real Madrid em 1996, o atacante se viu obrigado a alterar o seu número por conta da chegada de um badalado jogador.

Em entrevista ao portal Yellow and Green Football, o chileno detalhou os bastidores da temporada 1998-1999, quando utilizou a camisa 18 e inovou ao usar o “1 + 8”, simbolizando a soma que dá 9.

“A ideia surgiu porque o melhor do mundo havia chegado. Eu tive que entregar o nº 9 para ele”, comentou Zamorano, que desembarcou na Itália em 1996. O melhor do mundo, no caso, era “apenas” Ronaldo Fenômeno.

Na época, além do brasileiro, o elenco da Inter contava com Roberto Baggio, que vestia sua icônica camisa de nº 10. O chileno decidiu que iria improvisar. “O diretor esportivo, Sandro Mazzola, me disse para escolher um número que somava nove. Eu disse: “Posso adicionar um sinal de mais?” Ele me disse que não. Eu disse: “Como assim? Solicite a permissão”. Falei com Massimo Moratti (então presidente), que perguntou à federação italiana. Desta maneira, joguei com a 18, 1 + 8 e não perdi a 9″, completou.

O caso chegou a gerar debate na época, já que o atacante vinha de um excelente período no Real Madrid, tendo conquistado a Copa do Rei e a La Liga, além de ter sido artilheiro na temporada que antecedeu sua transferência. Pelo clube espanhol, Bam-Bam Zamorano marcou 97 gols em 168 partidas.

À época, a mídia italiana especulava que a situação gerou uma rusga entre Zamorano e Ronaldo, o que nunca veio a se tornar oficial por nenhuma das partes. Segundo ele, apesar de não ter jogado com muitos brasileiros, “atuou ao lado do melhor de todos: Ronaldo Luís Nazário de Lima”. Pela Inter, ele atuou em 141 jogos e marcou 41 gols.