Indústria

No digital, Nike, Visa e Qatar Airways se destacam na Copa do Mundo feminina

Em comum, campanhas focaram na igualdade de gêneros e empoderamento feminino muito além do futebol

12 jun, 2019

A Copa do Mundo de Futebol Feminino começou e tem atraído a atenção do mundo todo com números de audiência satisfatórios. Neste sentido, a Fifa prevê que o Mundial deste ano irá atrair um total de 1 bilhão de telespectadores, uma forte evolução em relação aos 750 milhões da edição anterior, em 2015.

Nos “gramados digitais”, os números também impressionam. De acordo com um levantamento feito pela empresa de mídia Tubular, nos últimos três meses, conteúdos relacionados ao torneio bateram a marca de 71 milhões de visualizações em plataformas de vídeo online. Para chegar ao resultado, a empresa analisou mais de 850 vídeos dentro de campanhas que tiveram como temática o futebol feminino. Com o avançar das fases, este número certamente sofrerá um relevante incremento.

Ainda segundo a Tubular, de todas as campanhas, três se destacaram em quesitos como likes, compartilhamentos e interações: Nike, Qatar Airways e Visa. Em comum, foco na igualdade de gêneros e empoderamento feminino muito além do futebol. No caso do swoosh, um vídeo que coloca uma garotinha de dez anos no centro das atenções. Já a empresa de cartões, que é parceira oficial de serviços de pagamento para todas as transações da Copa, tem feito o seu maior investimento da história no futebol feminino em escala global. Para o mercado brasileiro, o objetivo tem sido dar mais visibilidade ao esporte desde a última edição do Mundial.

É inegável que a Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019 está tendo um status inédito em sua história. Em comparação às edições anteriores, esta edição tem sido muito enaltecida pela mídia e patrocinadores. Na televisão, com a estreia do Brasil, a aposta da Globo de transmitir pela primeira vez a competição na TV aberta deu certo. O duelo entre a seleção brasileira e a Jamaica dobrou a audiência média do horário. O jogo marcou 20 pontos e 48% de participação entre os televisores ligados no Rio de Janeiro. Já em São Paulo, foram 19 pontos de audiência e 43% de participação.