Patrocínio

Goiás terá marca própria e Topper deixa futebol aos poucos

Trata-se de uma mudança drástica de cenário para a marca, que há um ano estava em cinco times da Série A

1 jul, 2019

O Goiás Esporte Clube anunciou na última semana que irá romper o seu acordo com a Topper e lançará sua marca própria em breve. Trata-se de mais uma relevante baixa da empresa no futebol brasileiro.

“Estamos iniciando uma nova era, um novo ciclo, uma nova proposta de uniformes oficiais do nosso Goiás Esporte Clube. Agradecemos à Topper, a parceria nesses últimos anos. Chegou o momento de termos a nossa identidade, a nossa personalidade “A NOSSA MARCA PRÓPRIA”, que será lançada oficialmente no final deste mês de julho. Para esta transição, presentearemos você torcedor, com uma homenagem ao nosso passado. Vem aí uma camisa retrô, que será nosso manto nas próximas três partidas”, publicou o clube em suas redes sociais.

“Nós temos a Topper já há algum tempo. Eu não quero fazer nenhuma critica a empresa. Ela nos atendeu. Porém é um sonho nosso antigo da gente partir para uma marca própria. Isso já tem sido a muito tempo uma vontade de muitos da diretoria. Nós consultamos torcedores e eu percebo que muitos também tem essa mesma vontade. Muitos clubes do Brasil tem partido para essa linha. Eu tenho para mim que não tem como falar se uma coisa é boa ou ruim se não pratiquei. Em breve vamos lançar a nossa marca própria”, disse Marcelo Almeida, presidente do Goiás, em entrevista à rádio Sagres 730.

Desta maneira, o Goiás atuará com um modelo retrô temporário para as próximas três partidas do Brasileirão (Flamengo, Avaí e Atlético), além do amistoso internacional diante do Racing, do Uruguai.

Trata-se de uma mudança drástica de cenário para a Topper, que há cerca de um ano estava presente em cinco times da Série A, perdendo apenas da Umbro como maior fornecedora do mercado. De lá pra cá, a marca diminuiu sua participação no mercado e, aos poucos, vai novamente deixando de lado o investimento em clubes.

O caso envolvendo o Goiás repete um problema já visto com outros ex-patrocinados da Topper, como Náutico, Vitória e Atlético-MG: a incapacidade de atender aos times que culmina com a insatisfação do consumidor, além da forte pressão dos dirigentes. O Paraná também anunciou que terá marca própria e o Botafogo já assinou com a Kappa para agosto.

Hoje, a Topper conta com Ceará, Guarani, Ponte Preta, Figueirense e Brasil de Pelotas e Remo. O clube paraense, porém, já estuda alternativas para 2020.

Apesar do cenário adverso, a Topper ainda segue com certa evidência, já que é fornecedora das bolas usadas nas Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro.