Indústria

Manchester City e o Chelsea levam futebol feminino para seus estádios

Etihad Stadium e Stamford Bridge abrirão a temporada 19/20 dos clubes na liga feminina da Inglaterra

11 jul, 2019

O Manchester City e o Chelsea anunciaram uma importante medida para manter acesa a chama do interesse do britânico pelo futebol feminino após a campanha da Inglaterra na Copa do Mundo da França.

Os Citizens e Blues jogarão a primeira rodada da Superliga Feminina no Etihad Stadium e Stamford Bridge, respectivamente. Em ambos casos, serão clássicos locais: o primeiro receberá o Manchester United, enquanto o segundo duelará contra o Tottenham.

Leia também: Subvalorização de patrocínios do futebol feminino é de US$ 1.2 bilhão

O derby de Manchester está marcado para o dia 7 de setembro e poderá receber até 55 mil torcedores. No dia seguinte, Chelsea e Tottenham atuarão com portões abertos, com grande expectativa para que todos os assentos sejam preenchidos.

O Chelsea afirmou que a ideia de levar o clássico para Stamford Bridge trata-se de uma “celebração do futebol feminino” após o desempenho da Inglaterra no Mundial. Já Gavin Makel, diretor de futebol feminino do City, disse que o clube “quer iniciar a nova temporada com um estrondo” após o quarto lugar das Lionesses.

Recentemente, o MKTEsportivo revelou que a derrota da Inglaterra na semifinal para os EUA, campeãs do torneio, foi assistida por um total de 11.7 milhões de telespectadores na BBC, um recorde do futebol feminino no Reino Unido e o evento mais assistido do ano. Para efeito comparativo, o jogo que mais rendeu audiência em território britânico no Mundial Feminino anterior, disputado em 2015, foi também na semifinal, na derrota inglesa para o Japão. Na ocasião, o pico foi de 2.4 milhões de telespectadores, com uma média de 1.7 milhão de pessoas.