Indústria

Nike retira tênis do mercado após polêmica com Colin Kaepernick

Para o jogador, modelo carregava um símbolo que remetia ao passado de escravidão dos Estados Unidos

5 jul, 2019

Após uma crítica feita pelo jogador de futebol americano Colin Kaepernick, a Nike decidiu tirar de circulação um tênis que celebrava o aniversário dos Estados Unidos, comemorado na quinta-feira (4). O modelo Air Max 1 “Fourth of July” foi criado nas cores da bandeira americana e trazia, no calcanhar, o desenho da primeira bandeira do país, que era formada por 13 estrelas em círculo e 13 listras, símbolo nacional do final dos anos 1700.

“A Nike tomou a decisão de suspender a distribuição do modelo com base em preocupações de que ele poderia, sem intenção, ofender e desvirtuar o feriado patriótico do país. Somos uma empresa orgulhosa de sua herança americana”, disse a Nike em comunicado.

Importante destacar que o objetivo inicial era prestar uma homenagem à mulher que desenhou o modelo da bandeira, a costureira Elizabeth “Betsy” Ross. No entanto, Kaepernick, símbolo recente da Nike por defender os direitos dos negros protestando contra o presidente Donald Trump durante jogos da NFL, deixou clara sua insatisfação aos executivos da empresa pelo tênis carregar um símbolo que remetia ao passado de escravidão dos Estados Unidos.

Para evitar uma crise sem precedente, a Nike optou por tirá-lo do mercado. Não se sabe, no entanto, se algum par chegou a ser comercializado.