Atletas

Vettel critica troféus da F1 e quer menos influência dos patrocinadores

Piloto acredita que eles fazem parte da herança do esporte e não deveria ter interferência das marcas

9 ago, 2019

Terceiro colocado do GP de Hungaroring, na Hungria, realizado no último domingo (4), Sebastian Vettel não está satisfeito com a mudança de layout dos troféus ao longo dos últimos anos. Para ele, no passado, as corridas tinham seus próprios troféus, distintos uns dos outros, diferentes dos atuais projetados para atender o desejo dos patrocinadores.

“Quando comecei a assistir a Fórmula 1 na TV, algumas corridas tinham troféus muito icônicos em termos de design ou material que eles usavam”, disse o alemão, que aproveitou para declarar que os troféus “fazem parte da herança do esporte”.

Por força comercial, na última década, marcas como Pirelli, Rolex, Heineken e Santander adquiriram os naming rights das provas que, contratualmente, podem envolver a presença no pódio por meio do backdrop e (em alguns casos) troféu.

“Essas pequenas coisas fazem diferença para mim. Eu me preocupo, acho que faz parte das tradições e quando eu olho para as fotos antigas eu vejo os caras mais velhos levantando os troféus nos diferentes países”, completou o piloto da Ferrari.

Por fim, Vettel acredita que a exposição das marcas no entorno das pistas já deveria ser suficiente, sem a necessidade de impactar o desenho dos prêmios recebidos.

“A coisa mais chata é: se temos os troféus do patrocinador no domingo, isso parece muito entediante. Eu não entendo porque você tem outdoors em todos os lugares, por que você precisa dos troféus dizendo a mesma coisa de novo?”, finalizou.