Patrocínio

Após PSG, Deliveroo fecha com Lyon e rivaliza com Uber Eats na França

Recentemente, a startup britânica decidiu chegar ao mercado francês e fechou com o Paris Saint-Germain

20 set, 2019

A startup britânica de entrega de comida Deliveroo segue em expansão pelo futebol europeu. Desta vez, a empresa fechou com o Lyon, que englobará exposição nas camisas dos times masculino e feminino do clube. O acordo é mais capítulo de uma acirrada disputa de mercado entre a própria Deliveroo e a Uber Eats.

Pelo contrato, o logotipo da marca estampará as costas da camisa do time masculino em jogos da Ligue 1 e as mangas da camisa feminina durante as partidas do Campeonato Francês e Champions League. Ela também terá grande visibilidade dentro do Estádio Groupama e no Centro de Treinamento Groupama.

Em junho, a Uber Eats adquiriu os naming rights da Ligue 1 (Campeonato Francês) e, logo em seguida, anunciou o patrocínio máster ao Olympique de Marseille.

A Deliveroo, por sua vez, iniciou sua expansão no continente por meio do mercado inglês e espanhol. A empresa fechou com a LaLiga em julho e, no início deste mês, assinou um contrato histórico com a Federação de Futebol da Inglaterra (FA) para a seleção inglesa masculina.

Na semana passada, a startup britânica decidiu chegar ao mercado francês. Fechou com o Paris Saint-Germain, rival do Marseille, e agora acertou com outra força da elite francesa, o Lyon.

“Estamos especialmente orgulhosos de nos associarmos a um clube de futebol que tem uma história de excelência em termos de diversidade, inclusão e igualdade. As equipes do Lyon, tanto de homens como de mulheres, estão entre as melhores da Europa, e teremos o prazer de apoiá-las nos próximos anos. Mal podemos esperar para experimentar essa parceria”, disse Alessandro Celli, diretor geral da Deliveroo para a Europa.

“A Deliveroo sempre optou por uma estratégia inovadora e disruptiva, buscando empurrar as fronteiras e desafiar o status quo. A exposição como patrocinadora nos uniformes masculinos e femininos envia uma mensagem muito forte”, comentou Jean-Michel Aulas, presidente do Lyon.