Indústria

Cruzeiro chega ao e-Sports com criação de equipe de futebol virtual

Clube terá a especializada E-Flix como corresponsável pela gestão do projeto junto com o clube

2 set, 2019

O Cruzeiro é mais um clube brasileiro a anunciar sua chegada ao e-Sports. A Raposa terá sua equipe de futebol virtual oficial que irá disputar torneios de Fifa e Pro Evolution Soccer.

Nesta nova empreitada, o clube terá a E-Flix como parceira. A empresa será corresponsável pela gestão do projeto junto com o Cruzeiro, oferecendo todo o know-how adquirido de três anos de mercado nos esports de futebol virtual. A E-Flix já detém o case de sucesso da Netshoes E-Sports – NSE, a mais renomada equipe de FIFA no Brasil.

“Tal tendência mundial não poderia ser ignorada por nós. Estamos atentos a tudo o que acontece e, depois de muito estudo, percebemos que o eSports veio para ficar e que deve crescer ainda mais nos próximos anos. Falamos com várias empresas que atuam no segmento, explicamos o desejo de fazer parte deste universo, criando um projeto de qualidade sem trazer custos ao clube. Creio que chegamos ao desenho do que será um grande projeto no futuro”, comentou o Diretor Comercial e de Novos Negócios do Cruzeiro, Rene Salviano. O executivo ainda destacou que esse é apenas o primeiro passo do Cruzeiro no eSports e que o clube já planeja outras modalidades que o projeto atuará.

“Estamos todos muito contentes em fazer parte da criação do departamento de esportes eletrônicos do Cruzeiro, que não temos dúvida que chegou para ficar. É do perfil da nossa empresa buscar inovação e pioneirismo e encontramos no Cruzeiro as mesmas características, nascendo então um projeto muito fortalecido pela combinação de força da imagem do clube e nossa capacidade de gestão dentro do cenário de futebol virtual”, comentou Marcelo Fadul, Diretor Executivo e fundador da E-Flix.

De acordo ainda com a consultoria NewZoo, os jogos eletrônicos serão responsáveis por movimentar US$ 180 milhões até o ano de 2021. No Brasil, são mais de 66,3 milhões de jogadores ativos. Em 2019, esse número deve chegar a 75,7 milhões. A pesquisa da empresa também aponta que o mercado nacional já ultrapassou a cifra de 1,5 bilhão de dólares.