Indústria

Chineses suspendem relação com Houston Rockets após tweet sobre Hong Kong

Publicação do gerente geral da franquia resultou em suspensão de diversos acordos comerciais

7 out, 2019

O Houston Rockets está no centro de uma polêmica sem precedentes na NBA. Tudo começou com um tweet feito por Daryl Morey, gerente geral da franquia, prestando apoio à Hong Kong no seu movimento contra a influência do estado chinês na governança local.

Em sua publicação, Morey divulgou uma imagem com os dizeres: “Fight for Freedom. Stand with Hong Kong” (‘Lute pela Liberdade. Fique com Hong Kong’, em tradução livre).

Vendo que o conteúdo havia viralizado de maneira negativa, o profissional rapidamente apagou o tweet, o que não impediu uma reação imediata de parceiros comerciais e de mídia do Rockets. Segundo a Reuters, a marca de roupas esportivas Li-Ning e o banco SPD Bank já suspenderam suas comunicações com a franquia. Já a CCTV, emissora estatal chinesa, retirou os jogos do Rockets da sua programação. Por fim, a Tencent, parceira de direitos de mídia digital da NBA na China, removeu o time do seu pacote e ofereceu aos assinantes um acordo especial pela ausência.

Vale lembrar que o Rockets tem uma histórica relação com o mercado chinês. A equipe mantinha até aqui uma estreita parceria com a Associação Chinesa de Basquete (CBA) por conta da marcante passagem de Yao Ming, atual presidente da entidade. Por conta da publicação, a CBA foi mais uma que anunciou a suspensão de sua cooperação com a franquia.

Diante da repercussão negativa para a imagem da instituição que representa, Morey se posicionou por meio do seu perfil no Twitter.

“Eu não queria ofender nenhum torcedor dos Rockets ou amigos meus na China com meu tweet. Estava apenas expondo um pensamento, baseado em uma interpretação, de um evento complicado. Desde aquele tweet tive muitas oportunidades de ouvir e considerar outras perspectivas. Eu sempre apreciei o significativo apoio dos nossos fãs e patrocinadores chinenses e espero que aqueles que estão chateados irão entender que ofender ou enganar eles não era minha atenção. Meus tweets são minhas opiniões e de maneira nenhuma representam os Rockets ou a NBA”, publicou.

“Tivemos uma grande reação e eu queria deixar claro que a organização não tem posição política. Estamos aqui para jogar basquete e não ofender ninguém. Eu tenho o melhor gerente geral da liga. Está tudo bem comigo e com Daryl”, completou Tilman Fertitta, o proprietário do Rockets, em entrevista ao jornalista Tim MacMahon, da ESPN.

“Reconhecemos que as opiniões expressas pelo gerente geral do Houston Rockets, Daryl Morey, ofenderam profundamente muitos de nossos amigos e fãs na China, o que é lamentável. Embora Daryl tenha deixado claro que seu tweet não representa os Rockets ou a NBA, os valores da liga apoiam os indivíduos a se educarem e a compartilharem suas opiniões sobre assuntos importantes para eles. Temos um grande respeito pela história e cultura da China e esperamos que o esporte e a NBA possam ser usados ​​como uma força unificadora para superar as diferenças culturais e aproximar as pessoas”, destacou a NBA em nota.

A polêmica não poderia ter ocorrido em momento pior para a NBA, que já está na China para partidas de pré-temporada com algumas de suas franquias. Na última semana, o próprio Houston Rockets abriu o período de preparação da liga no país asiático vencendo o chinês Shanghai Sharks.

O conflito entre China e Hong Kong existe há muito tempo, mas se intensificou no nos últimos 20 anos. Hong Kong é considerado território chinês desde a época da China Imperial e busca sua independência desde o início do século XXI. Este ano, iniciou-se uma série de protestos nas ruas de Hong Kong e, desde então, o movimento vem se intensificando. O povo local alega falta de democracia do regime chinês e que buscam liberdade.