Indústria

Especial | Com novos profissionais, Monaco e PSG se adequam ao novo momento do futebol

Marc Armstrong é o novo head de patrocínio do clube parisiense. Momento é de rentabilizar a exposição

15 mar, 2018

Por Eduardo Esteves

 

É inegável que a chegada de Neymar ao PSG fez com que os olhos do mundo esportivo se voltassem para a Ligue 1. Além do crescente interesse da mídia de cobrir e transmitir jogos da liga, houve um aumento no número de marcas que buscaram os franceses de olho na visibilidade que conquistariam dali em diante. Neste contexto, surgiu um novo momento na elite da França: o fortalecimento do corpo de profissionais e a exploração de novos caminhos para potencializar a receita comercial.

E como se adequar a este cenário de oportunidades? Buscar em mercados consolidados aqueles que foram protagonistas na implementação de um novo modelo de negócio ou mesmo responsável por uma nova e rentável mentalidade dentro de uma liga, federação, clube ou empresa. Foi o que fez o Manchester United ao trazer um ex-Yahoo para comandar sua frente de mídia e conteúdo.

O AS Monaco, por exemplo, contratou Juli Ferre Nadal para assumir o cargo de diretor comercial. Aos 40 anos, o profissional acumula uma relevante passagem de cinco anos pelo FC Barcelona como Diretor de Parcerias Internacionais. Já o PSG, após ver sua base de fãs nas redes sociais aumentar consideravelmente, trouxe Russell Stopford para ser responsável pelo departamento digital. Stopford tem em seu currículo experiências no Manchester City e no já citado gigante espanhol.

Agora, dando um novo passo para fortalecer-se como marca, a equipe de Nasser Al-Khelaifi foi buscar no território norte-americano a nova estrela do seu setor comercial: Marc Armstrong, agora novo head de patrocínio do clube.

Armstrong trará na bagagem anos de experiência como vice-presidente de marketing da NBA para Europa, África e Oriente Médio. Na liga, ele foi o responsável pelo desenvolvimento de plataformas integradas de marketing e mídia, além de prospectar novos parceiros corporativos. O profissional ainda passou dois anos na NFL como diretor comercial e outros dez na FA, a entidade máxima do futebol inglês.

A chegada de Marc coincide com o anúncio da parceria do PSG com a agência de marketing esportivo chinesa Desports. Ela atuará exclusivamente no mercado chinês onde terá como principal função gerar novos negócios a partir da base de 1.3 milhão de fãs do clube no país.

De acordo com o último Football Money League, da Deloitte, o PSG figurou em sétimo lugar no ranking de receitas. Foram € 486.2 milhões na temporada 2016/17, com a fatia commercial representando 56% do total.