Indústria

A coleta de dados e o futuro do relacionamento entre marca e consumidor

Empresas atuam cada vez mais na busca por insights profundos em prol da personalização de seus produtos e serviços

A coleta de dados e o futuro do relacionamento entre marca e consumidor

05 de abril de 2018

2 minutos de Leitura

Por Eduardo Esteves

 

Na busca por diferenciação em um mercado altamente competitivo, cada vez mais as empresas precisam coletar e interpretar dados que estão disponíveis nos mais diversos pontos de contato. E dificilmente o farão sozinhas. A necessidade de se ter uma empresa especializada que não somente colete, mas faça o cruzamento de todas as informações obtidas, se faz necessário. E é neste sentido que a Nike caminha para conhecer à fundo as atividades de consumo dos seus clientes.

Na semana passada, o swoosh anunciou a aquisição da plataforma de data analytics Zodiac, que trabalha em parceria com marcas coletando e cruzando históricos de transações para prever hábitos futuros. O objetivo é que a gigante do esporte possa construir relacionamentos mais próximo de seus consumidores e consiga oferecer novidades que estejam de acordo com reais necessidades dos mesmos.

Este cenário terá muita influência no futuro da norte-americana em relação ao consumo dos seus clientes. Com a Zodiac acumulando em sua base os históricos de transações do e-commerce, a Nike saberá como trabalhar na aquisição de novos clientes, de que maneira irá reduzir a rotatividade e aumentar a precisão das previsões de vendas.

Desta maneira, com o aumento da capacidade de atender aos consumidores de maneira individual, como resultado de uma profunda compreensão de seus objetivos e necessidades, o swoosh poderá antecipar futuras tendências que se apresentarão. E é este estratégico pilar que norteia a atuação dos maiores players da indústria.

Portanto, desenvolver internamente ou adquirir plataformas de coletas de dados poderá se tornar algo recorrente entre as marcas, já que varejistas tendem a não compartilhar suas informações com elas. E, como sabemos, os players necessitam de insights profundos em prol de uma personalização mais precisa de seus produtos e serviços. Afinal, como já foi destacado no MKTEsportivo, os dados devem ser parte da cultura da organização e ela deve basear seus esforços em análise.

Compartilhe