Indústria

Por disseminação de conteúdo olímpico, Globo fecha parceria com Olympic Channel

O acordo, que será válido até 2032, oferecerá a oportunidade de assistir ao conteúdo original da plataforma nos canais do Grupo

9 maio, 2018

Enquanto se prepara para a transmissão da Copa do Mundo 2018, o Grupo Globo já está de olho nos próximos ciclos olímpicos. A companhia anunciou uma parceria com a Olympic Channel, plataforma multimídia do Comitê Olímpico Internacional (COI). O objetivo da aliança, que terá início em agosto, é disseminar o conteúdo olímpico de forma estratégica pelo país e aproximar atletas e fãs das modalidades olímpicas.

O acordo, que será válido até 2032, oferecerá a oportunidade de assistir ao conteúdo original do Olympic Channel e da Globo durante a programação da plataforma estrangeira, nos programas esportivos da Rede Globo (como o “Esporte Espetacular“), no SporTV e também dentro do Globoesporte.com.

“Estamos animados com essa parceria com o Grupo Globo. Estreamos após a Rio 2016 e queremos cada vez mais que os brasileiros, fãs olímpicos, estejam envolvidos no movimento olímpico durante todo o ano. Ao aprofundar essa conexão entre o Olympic Channel e as histórias sobre atletas e esportes favoritos do público, contribui-se para manter vivo o legado da Rio 2016”, destacou Mark Parkman, diretor geral do Olympic Channel.

“É uma honra estarmos nessa parceria com o Olympic Channel, após o sucesso de nossa cobertura nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e dos últimos eventos mundiais, como os Jogos de Inverno de PyeongChang, em fevereiro de 2018. Continuaremos a investir na nossa missão de apoiar e promover o movimento olímpico para atender aos interesses e expectativas do nosso público. Nosso compromisso é entregar um produto completo de excelente qualidade”, declarou Pedro Garcia, diretor de negócios de esporte do Grupo Globo.

A nova parceria para distribuição amplia o alcance global do Olympic Channel, que estreou mundialmente como plataforma digital após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Trata-se, portanto, de uma ampliação dos direitos de mídia para os Jogos Olímpicos acertados entre o Comitê Olímpico Internacional e a Globo no Brasil.