Indústria

Por investimento de R$ 1 bilhão, pai de piloto da F2 torna-se sócio da McLaren

O empresário canadense Michael Latifi adquiriu uma participação de 10% na companhia

21 maio, 2018

A McLaren Group anunciou hoje que recebe um investimento de £ 203.8 milhões (€ 231.3 milhões) vindo da empresa Nidala Limited, do empresário canadense Michael Latifi que possui forte atuação no ramo alimentício. O valor contempla a aquisição de uma participação de cerca de 10% na companhia, que inclui também os braços McLaren Automotive e a McLaren Applied Technologies.

O negócio representa o primeiro grande investimento na McLaren desde que Ron Dennis encerrou sua relação de 37 anos com empresa. Posteriormente, a Bahrain Mumtalakat Holding Company e a holding privada TAG Group, de Luxemburgo, tornaram-se acionistas majoritárias da britânica. Segundo a McLaren, trata-se de um voto de confiança para o plano de longo prazo traçado pela marca.

“Sou admirador da marca McLaren e seus empreendimentos há algum tempo. A McLaren é uma organização automotiva única, de corrida e tecnologia, com animador prospecto de longo prazo. Foi por isso que fiz esse investimento. Estou orgulhoso de ser parte da McLaren e essa marca incrível”, disse Michael Latifi em um comunicado.

“Essa injeção de capital é um voto de confiança em nossa estratégia futura, e o Grupo continua tão focado quanto sempre no posicionamento para crescer. Estamos muito satisfeitos por Michael Latifi ter se juntado à família McLaren”, acrescentou Shaikh Mohammed bin Essa Al Khalifa, presidente executivo da McLaren Group.

Com a aquisição, Latifi irá ampliar seus laços com o automobilismo, já que seu filho, Nicolas Latifi, é o atual piloto da DAMS (F2) e de desenvolvimento da Force India. O acordo, por enquanto, não envolve a participação de Nicolas à bordo de um McLaren no grid de largada, algo que ocorre há alguns anos dentro da F1.