Indústria

Especial | A polêmica postagem de Júlio Cocielo e o problema para as marcas

Após um tweet do youtuber sobre a velocidade Kylian Mbappé, empresas foram cobradas por utilizá-lo em suas campanhas publicitárias

2 jul, 2018

Por Eduardo Esteves

 

O youtuber Júlio Cocielo criou uma polêmica generalizada no Twitter após fazer um comentário sobre Kylian Mbappé, da França, no último sábado (30). Depois de uma arrancada do francês na partida contra a Argentina, Cocielo tweetou: “Mbappé conseguiria fazer uns arrastão top na praia hein“.

Após uma chuva de críticas de internautas que consideraram que a postagem foi racista, Cocielo apagou o texto do seu perfil e divulgou um comunicado em sua defesa. Pra piorar, muitos usuários lembraram de empresas que utilizam a imagem do youtuber em campanhas publicitárias, como é o caso do Adidas, McDonald’s e Coca-Cola, todas patrocinadoras oficiais da FIFA, além do SubmarinoItaú, Tic-TacFoster.




Pela alemã, inúmeras são as postagens em seu Instagram em eventos da marca e trajando peças de roupas fornecidas por ela. À convite da Adidas, ele foi um dos influenciadores a participar do tour da tocha olímpica dos Jogos Olímpicos de 2016 quando a mesma passou por Osasco, sua cidade. Cocielo, inclusive, encontra-se na Rússia promovendo a empresa de material esportivo e a Gillette.

Como tuítes antigos foram recuperados e reforçaram as críticas de racismo ao youtuber, o caso ganhou um alcance ainda maior e agora muitos esperam que as marcas tomem as devidas providências. Por outro lado, quando os patrocinadores encerram acordos de maneira unilateral com youtubers, eles podem gerar uma insatisfação enorme dentro de uma base muito grande de fãs que não enxergam problemas em postagens do tipo.

 

Submarino, que estava com uma campanha com Cocielo no ar, se manifestou alegando que “repudia veementemente qualquer manifestação racista e tomará as providências necessárias“. A ação foi retirada do ar e o acordo rescindido. Em comunicado, o Itaú afirmou que “repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito. Esperamos que o respeito à diversidade sempre prevaleça”.

A Adidas também se posicionou afirmando que “é uma marca que repudia toda e qualquer tipo de discriminação. Portanto, decidimos suspender a parceria com o youtuber Julio Cocielo”. A Embratur, que explorou Cocielo na ação que divulgou destinos brasileiros na Rússia, apesar de não ter contrato permanente com o youtuber, ressaltou que não vai mais utilizá-lo.

“A Embratur zela pela imagem do nosso país. A nossa atuação é pautada em respeito a todas as pessoas. Não compactuamos com racismo ou manifestações preconceituosas e qualquer ação deste tipo será coibida. A Embratur informa que não será utilizado mais o conteúdo gravado em Moscou com Cocielo na campanha. Ele não é mais influenciador para esta ou futuras ações”, afirmou o órgão do governo em comunicado.

O influencer marketing é considerado uma das grandes tendências do mercado de conteúdo há, pelo menos, três anos. Contra a publicidade tida como “tradicional”, os influenciadores acabam dando um novo impulso criativo para as ações de comunicação das marcas de olho, principalmente, no público jovem. Entretanto, este caso mostra claramente que é preciso ser criterioso com a escolha de influenciadores para não confundir alcance com relevância.

A seguir, o comunicado completo de Júlio Cocielo:

“Bom, vamo lá! Hoje eu fiz um tweet sobre o Mbappé e a piada se referia a velocidade dele devido a um lance do jogo, nada além disso! O tweet foi interpretado de mil formas diferentes e gerou uma grande discussão. Decidi deletar pois nunca fui de entrar em polêmicas, mas já era tarde demais, tinha tomado uma proporção enorme… pegaram alguns comentários antigos, de uns 8 anos atrás, que eu já havia feito aqui no Twitter, tenho até vergonha! Cara, como eu falava m… Na época esses comentários infelizes tinham uma interpretação totalmente diferente de hoje, um momento delicado. Muitas vezes fui irônico, muitas vezes estava zoando amigos, muitas vezes só queria ser o engraçadão, e são coisas que eu nem lembrava ter escrito… De qualquer forma, não existe justificativa, isso fez eu me sentir muito mal só de imaginar ter sido uma pessoa escrota. Arrependido e aprendido! Lição pra vida! Nunca mais se repetirá! Peço desculpas publicamente por ter ofendido inúmeras pessoas, e como eu sempre digo: meu sonho sempre foi alegrar e motivar todos a acreditarem nos próprios sonhos. Magoar alguém nunca foi minha intenção, quem conhece minha história e convive comigo, sabe como eu sou, e que eu jamais agiria desta forma! Vivendo e aprendendo! Não vou entrar em nenhuma discussão, assumo meu erro! Desculpa!”