Patrocínio

Sem Paris Saint-Germain, Emirates estuda desembarcar no Olympique de Marseille

De saída do clube de Neymar, companhia aérea estuda patrocinar o rival a partir da próxima temporada

12 nov, 2018

Em agosto, o MKTEsportivo destacou que a Emirates não seguirá no PSG para a próxima temporada. Além do alto valor pedido pelo clube, ciente da visibilidade que tem gerado com as aquisições de Neymar e Kylian Mbappé, há questões diplomáticas desde que os Emirados Árabes Unidos e outros três países liderados pela Arábia Saudita impuseram um embargo comercial e de viagens ao Catar no ano passado. O PSG pertence à Qatar Sports Investments desde 2011, que o tornou o mais rico da França e um dos mais poderosos do mundo.

Satisfeita com sua presença em solo francês, a companhia aérea estuda permanecer na Ligue 1 e acredita que o rival Olympique de Marseille seja uma relevante vitrine. De propriedade do bilionário americano Frank McCourt, o Marseille recusou-se a comentar sobre as negociações, embora tenha deixado claro que o contrato com a Orange, empresa de telecomunicações francesa, expire no final da atual temporada. Em 2016, com a chegada de McCourt, a empresa expandiu ainda mais a parceria e adquiriu os naming rights do Stade Vélodrome, em um contrato de dez anos, investindo cerca de US$ 3 milhões por ano.

Hoje, o portfólio de futebol da companhia aérea inclui um clube em quatro das cinco principais ligas da Europa. São eles: o Real Madrid na Espanha, o Arsenal na Inglaterra, o Milan na Itália e o já citado PSG na França. Há ainda o Benfica em Portugal.