Indústria

CBF promete bancar VAR e apresenta iniciativas para valorizar Brasileirão

Entidade assumirá custo com tecnologia e infraestrutura do árbitro de vídeo, mas clubes arcarão com profissionais

22 fev, 2019

A CBF apresentará uma série de iniciativas que visa valorizar Brasileirão no que tange angariar mais púbico e credibilidade frente aos torcedores e patrocinadores.

A principal delas está na utilização do árbitro de vídeo (VAR) nas 380 partidas da competição deste ano. Se no ano passado nem todos os clubes se dispuseram a arcar com os custos necessários para a implementação da tecnologia, agora a própria confederação bancará o uso. Aos times, apenas o pagamento das despesas com o capital humano.




“Queremos elevar o patamar do Campeonato Brasileiro. Para isso, apresentaremos aos clubes uma pauta integrada, que passa pela arbitragem, pelos aspectos técnicos das partidas e pelo público nos estádios”, disse Rogério Caboclo, presidente da CBF.

Outra medida será a criação da Supercopa do Brasil. O evento será uma partida única, em campo neutro, entre o campeão brasileiro e o campeão da Copa do Brasil. Comum no calendário europeu, a disputa deverá abrir a temporada do futebol brasileiro em 2020.

Sem dar detalhes, a confederação anunciou que irá propor também um projeto para aumentar o público nos estádios. Com quase 19 mil pessoas por partida, o Brasileirão de 2018 teve o melhor índice desde 1987. Ainda assim, o principal torneio do Brasil fica atrás de ligas de países como México, Estados Unidos e China. O plano é mostrar caminhos para incrementar a ocupação das arenas.

Uma das propostas da CBF promete gerar polêmica nos bastidores e, quem sabe, não ir adiante, que é limitar os clubes a uma troca de técnico ao longo da competição. Além disso, a limitação do número de atletas inscritos será de 40.

“Essa medida vai ajudar os clubes a racionalizarem sua gestão e a médio prazo permitirá a redução de custos”, disse Caboclo.

Por fim, por mais tempo de bola rolando, a CBF irá criar uma campanha de respeito à arbitragem para todas as competições do país. O objetivo é ter partidas mais dinâmicas e diminuir a quantidade de reclamações que param a partida constantemente.