Indústria

Corinthians resgata origens e transforma ato de torcer em religião

Criada pela F/Nazca Saatchi & Saatchi, ‘Corinthianismo’ visa resgatar o valor que é ser torcedor do clube

19 fev, 2019

O Corinthians lançou na noite de ontem sua própria religião: a Corinthianismo. Criada pela agência F/Nazca Saatchi & Saatchi, que em 2010 foi responsável pela premiada campanha “República Popular do Corinthians”, em celebração ao centenário do time, o “Corinthianismo – Fiel até o fim”, resgata o valor que é ser torcedor do clube e que vai “muito além de títulos, conquistas e craques”. O objetivo é também fazer um resgate de sua identidade para os jovens, acostumados a uma realidade distante da vivida pelo time ao longo de sua história.

“A forma encontrada por eles para provocar a nossa torcida acerca do significado de ser corinthiano em 2019, depois de tantas conquistas, é poética. Todo corinthiano vai deixar escapar uma lágrima diante do retrato de dor e glória, branco e preto, e essa dicotomia permanente que é a essência da experiência da Fiel e está muito presente em toda campanha”, destacou Luis Paulo Rosenberg, diretor de marketing do time alvinegro.

No vídeo da ação, o Timão relembra momentos negativos, como o rebaixamento no Brasileirão de 2007, a eliminação diante do Tolima na pré-Libertadores de 2011 e os 23 anos sem títulos entre 1954 e 1977, e também suas conquistas inesquecíveis, como a Libertadores e o Mundial de 2013, representados pela presença dos troféus.

“No início não havia vida, não havia nada. Era tudo escuro, era tudo preto. Até que pelas mãos de cinco imigrantes, em volta de um lampião no Bom Retiro, fez-se luz. Lentamente, o clarão inundou o breu, o branco se misturou ao preto e tudo ficou alvinegro. Nascia o Sport Club Corinthians Paulista. Mais que um clube, o Todo Poderoso”, destaca a descrição do vídeo, que tem como ponto alto uma icônica declaração feita por Sócrates.

“Nosso objetivo é que o torcedor nunca perca sua essência. Lembrar que o clube ficou 23 anos na fila e que com muito sacrifício e fé passou a conquistar títulos todo ano. Libertadores, Mundial, Ronaldo, melhor arena da América Latina, é claro que a gente quer ter tudo isso e muito mais. Mas, principalmente, queremos tudo isso com aquela torcida, aquele sentimento do começo da nossa história. O que nos une é o sofrimento na vitória ou na derrota”, disse Caio Campos, superintendente de marketing do Timão.

O “Corinthianismo” contará com santinhos de jogadores e ídolos do Corinthians, terço próprio, filme e documentário. A campanha também criará a “hora da fiel”, com ações nas redes sociais todos os dias às 19h10, em referência ao ano de fundação do Timão. Para chegar ao resultado final e não ofender nenhuma religião, profissionais do clube procuraram representantes de algumas igrejas que aprovaram o material antes de ser veiculado.

Os 10 mandamentos do “Corinthianismo”:

“Amar o Corinthians acima de qualquer resultado, partida e jogador”

“Nada é mais importante do que o jogo do Corinthians”

“Aqui é Corinthians. Aqui é na raça”

“A Fiel não vaia. A Fiel apoia os 90 minutos”

“Nossas glórias mil são contra tudo e contra todos”

“O bando grita mais forte quando o Timão está perdendo”

“Sofredor hoje. Sofredor amanhã. Sofredor para sempre. Graças a Deus”.

“Este time só tem um dono. Este time é do povo”

“Eu nunca vou te abandonar. Porque eu te amo”

“Vai, Corinthians!”.