Indústria

Especial | 5G, inteligência artificial e a era das experiências personalizadas

Em estágio inicial. clubes já se movimentam em prol das novas tecnologias do mercado

1 mar, 2019

A união do 5G, da inteligência artificial (AI), internet das coisas (IoT) e o BIG Data trará oportunidades infinitas não somente para a indústria do esporte, como para todos os outros setores.

Durante o Mobile World Congress (MWC), feira que acontece esta semana em Barcelona, o 5G foi um dos temas mais abordados. Empresas que contam com investimentos no esporte, como Huawei, Oppo, LG e Samsung, aproveitaram o evento para apresentar novidades neste sentido. E é bom que todos os envolvidos se mexam rapidamente.

A especializada GSMA Intelligence prevê que haverá mais de 1.3 bilhão de conexões 5G globalmente até 2025, cobrindo aproximadamente 40% da população global. Para a América Latina, a expectativa é que tenha, dentro de seis anos, o triplo de conexões de internet das coisas em relação a 2017, chegando a 1.3 bilhão.




O FC Barcelona já se movimentou e anunciou ontem um acordo com a Telefónia para fazer do Camp Nou o primeiro estádio europeu a contar com esta conexão. Com ela, os culés afirmam que potencializarão a produção de vídeos e experiências em VR para torcedores em todo mundo.

Já até a metade da próxima década, 90% dos usuários de dispositivos terão algum tipo de assistente pessoal, baseado em inteligência artificial. Por aqui, Corinthians e Santos, ainda que em um estágio bem inicial, anunciaram novidades. Com a IBM Brasil, o Timão irá implementar um sistema de inteligência artificial para melhorar o atendimento ao torcedor na Arena. O uso da AI será fundamental para que o clube seja capaz de prover insights para o técnico e seus auxiliares e transformar a experiência dos torcedores que frequentam o seu estádio. Fora a possibilidade do seu uso no gerenciamento de seu programa de fidelidade e venda de ingressos.

Já o Peixe se aliou à KonnecTo, uma startup de tecnologia com sede em Israel, e lançou a pesquisa Raio X Alvinegro, que visa atualizar e aprofundar o entendimento sobre como o santista se relaciona com o clube. Entre as respostas obtidas, o Santos poderá saber, por exemplo, as marcas mais respeitadas pelos torcedores e os melhores canais para compra de ingressos. Um big data valiosíssimo para o time praiano e seus (potenciais) patrocinadores.

No mercado brasileiro, com muito otimismo, o 5G deve desembarcar em 2021. Claro e Vivo já fazem experimentos em 4,5G. Com 5G, Inteligência Artificial e Big Data, as operadoras deixarão de ser empresas de conexão para oferecerem serviços de maior valor agregado à população. A experiência personalizada, em sinergia com os anseios do fã de esporte, é o passo mais natural desta evolução tecnológica que atravessamos.