Coluna

Zion Williamson: a próxima mina de ouro do marketing esportivo?

Fenômeno do basquete universitário é disputado pelas principais marcas e tende a ser o principal nome da indústria no futuro

2 abr, 2019
Eduardo Esteves

Diretor Executivo do MKTEsportivo

Ver mais artigos deste autor

Grande estrela de Duke na NCAA, Zion Williamson é (de longe) o favorito para ser a primeira escolha no Draft 2019 da NBA e vem sendo comparado pelos especialistas como o próximo LeBron James, muito por conta da habilidade e semelhança física, já que o jogador tem 2,01m e 129 kg. Ocorre que tanta badalação reflete em outro âmbito: o comercial. As gigantes do mercado estão em uma disputa acirrada para ter o craque como garoto-propaganda.




Especialistas acreditam que Zion possa alcançar o Top 3 de calçados logo em sua temporada de estreia, figurando perto dos acordos de ‘King’ e Kevin Durant, ambos com a Nike. À exemplo do atual camisa 23 do Los Angeles Lakers, que fechou com o swoosh antes mesmo de vestir a camisa do Cleveland Cavaliers, é esperado que Williamson já tenha um patrocinador de longo prazo antes do dia 14 de maio, data do Draft. Nos Estados Unidos, seis marcas o disputam: Nike, Air Jordan, Adidas, Under Armour, New Balance, Puma e a chinesa Anta.

Para Zion, desfrutar de uma assinatura exclusiva poderá ser fundamental para selar o acordo. Na história, apenas nove jogadores da NBA tiveram uma linha própria na temporada de estreia. Já em 2018/2019, 17 jogadores desfrutaram de modelos exclusivos. Para 2019/2020, esse número vai crescer, com o Nike FR34K 1, de Giannis Antetokounmpo, e o Adidas D.O.N., de Donovan Mitchell.

Importante lembrar que o novato utiliza atualmente produtos da Nike, mas ficará livre para assinar um novo endosso tão logo a NCAA terminar. Há alguns meses, a marca americana esteve no centro de uma polêmica após o tênis do jogador de Duke rasgar durante uma partida contra North Carolina. Na oportunidade, ele utilizava nos pés o PG 2.5, que compõe a assinatura do ala Paul George. A lesão do jogador, que ficou fora por seis partidas, impactou diretamente sua parceira.

Com a imagem sendo repetida inúmeras vezes, no dia seguinte ao ocorrido, as ações da empresa registraram queda de 2% antes da abertura dos mercados e foram a 1% por volta das 12h. Com medo da repercussão se tornar ainda mais negativa, a Nike prontamente se posicionou e afirmou que desenvolveria um tênis especial para o ala-pivô. A Puma aproveitou o buzz para ironizar sua rival e publicou “Isso não teria acontecido se ele usasse Puma” em seu Twitter. O jogo foi transmitido em rede nacional para os Estados Unidos e contou com a presença do ex-presidente Barack Obama no ginásio.

No entanto, apesar de muitos apostarem as fichas na Nike por conta do seu histórico com estrelas da NBA, Williamson foi visto por muito tempo como um “garoto Adidas” antes de vestir a camisa de Duke. Enquanto esteve lesionado recentemente, uma live feita no Instagram mostrou o jogador sentado no sofá vestindo um agasalho completo da marca alemã. No seu tempo livre, ele também costuma ser visto com tênis das três listras. Agora, resta saber se sua “preferida” terá dinheiro suficiente para bancá-lo e disposta a dedicar uma linha exclusiva para um rookie. Se sim, ele entraria no patamar de James Harden.

Um executivo com passagens pela Nike e Adidas, e que foi fundamental para levar Michael Jordan para o swoosh, afirmou em entrevista ao portal da ESPN  que Zion “terá a oportunidade de ser o rosto de todas as empresas e de todas as grandes corporações”. Destacou ainda que “ele é a pessoa mais vendável que já vi, por várias razões diferentes”. Será?

Independente de qual destino o jogador optar, já colocamos tranquilamente Zion Williamson com um grande potencial para se tornar um superstar do mercado de marketing esportivo.