Indústria

CBF e clubes reiniciarão concorrência pelos direitos internacionais do Brasileirão

Na nova licitação, existe a possibilidade do contrato contemplar a venda somente a partir de 2020

2 maio, 2019

Em reunião na tarde da última terça-feira (30), a Confederação Brasileira de Futebol e os clubes integrantes do Brasileirão 2019 decidiram que a proposta vencedora da concorrência pelos direitos de transmissão do torneio, do consórcio SportPromotion/Ecotonian, não seria mais aceita e o processo de concorrência terá que ser reiniciado.




A reunião iniciou com um relato feito pela auditoria Ernst & Young, responsável pela condução do processo, que detalhou o andamento das negociações e algumas das exigência feitas pela Sport Promotion/Ecotonian, como por exemplo, vender também os direitos comerciais dos times para sites de apostas no exterior. De acordo com a CBF, estas possíveis alterações mudavam o que estava previsto pelo edital de licitação.

“Diante das novas condições de negócio apresentadas, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, manifestou aos presentes que não se sentia confortável com a assinatura do contrato naqueles termos e fez uma recomendação aos clubes de que recusassem as alterações e exigências contratuais feitas pelo consórcio”, disse a CBF, em nota oficial publicada no site. Na nova licitação, existe a possibilidade do contrato contemplar a venda a partir de 2020.

Vale lembrar que, no início, a licitação contemplava tanto os direitos de mídia para o exterior quanto a comercialização de placas de publicidade para o Brasileirão. O projeto, dividido em dois, viu a SportPromotion vencer ambas concorrências. Agora, os direitos voltarão ao mercado, na dúvida se surgirão novos interessados.