Jair Bolsonaro tentará rescindir contrato da Petrobras com McLaren

Em seu Twitter, presidente afirmou que buscará uma maneira de encerrar o acordo da petrolífera com a escuderia

maio 18, 2019

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (17) que quer rescindir o contrato de patrocínio da Petrobras com a escuderia britânica McLaren.

“Em 2018 a Petrobras assinou contrato de publicidade de R$ 782 milhões com a McLaren, válido por 5 anos. No momento, a empresa, por decisão do meu Governo, busca uma maneira de rescindir o contrato”, publicou o presidente no Twitter. Pela postagem, o patrocínio giraria em torno de R$ 156 milhões por ano. O acordo, no entanto, é de aproximadamente £ 10 milhões por temporada (R$ 52 milhões na cotação de hoje).




Bolsonaro corroborou o que foi dito pelo ministro da cidadaniaOsmar Terra, em entrevista à coluna Radar, da Veja. O ministro afirmou que “não tinha sentido este valor todo para ter o nome pequenininho no capacete”. Importante ressaltar que a Petrobras desfruta de exposição não somente no capacete, como também no macacão dos pilotos, uniforme dos mecânicos, além do próprio carro. A estatal já havia investido alto no desenvolvimento de combustível para ser avaliado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). A parceria prevê também o fornecimento de combustível por parte da Petrobras, algo que não ocorreu até o momento.

Sobre a possível rescisão, a McLaren optou por não se posicionar no momento. No começo do ano, quando houve a mudança na Presidência da República, os executivos da escuderia já haviam dito que contavam com a permanência da Petrobras no patrocínio.

Trata-se de mais um reflexo do Plano de Resiliência, anunciado este ano pela petrolífera, que tem promovido cortes de patrocínio a eventos esportivos e culturais. A Seletiva de Kart, que levava o nome da Petrobras há 20 anos, teve seu contrato encerrado.

Por meio da escuderia britânica, a petrolífera vislumbrava obter uma exposição global, além de usar a parceria técnica para desenvolver novos produtos. Apesar de ter atualmente 32 parceiros comerciais, uma das mais populares da F1, a McLaren tem na empresa um patrocinador estratégico, já que a empresa é responsável por desenvolver o combustível e óleos dos carros.

Para encerrar o contrato, a Petrobras deverá ter de pagar uma multa à equipe britânica.

Compartilhe: