Indústria

Rivais paulistas se unem por liberação de cerveja nos estádios

A iniciativa é fruto da união entre os presidentes Maurício Galiotte, Andrés Sanchez, Carlos Augusto de Barros e Silva e José Carlos Peres

1 jul, 2019

Os clubes paulistas (e a Federação Paulista de Futebol) uniram forças na última sexta-feira para pedir a liberação da cerveja nos estádios do estado. Nas redes sociais, os rivais promoveram postagens com a hashtag ‘Libera a Breja‘. No Twitter, o assunto chegou a ser um dos mais comentados pelos torcedores, que também pressionam o governo estadual para a aprovação do projeto.

A iniciativa é fruto de um almoço promovido por Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras, com Andrés Sanchez (Corinthians), Carlos Augusto de Barros e Silva (São Paulo) e José Carlos Peres (Santos). Na ocasião, eles debateram uma união entre o G4 paulista para pressionar o governador João Doria Jr. a liberar o consumo. Desde que fechou com a Rede Globo, Galiotte tem tentado aproximar mais os clubes.

Recentemente, a Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou projeto de autoria do deputado Itamar Borges (PMDB) permitindo a venda e o consumo de bebidas alcoólicas dentro e nos arredores dos estádios, desde 1h30 antes do jogo começar até 1h depois de terminar. Agora, para que seja colocada em prática depende da assinatura do governador. O político, no entanto, já declarou ser contrário à liberação alegando que ela seria inconstitucional por ser contra o Estatuto do Torcedor, uma lei federal.

As bebidas estão proibidas nas arenas desde 1996, em um raio de até 200m da entrada. Os clubes entendem que, ao permitir o consumo dentro do estádio, conseguirão aumentar o faturamento em dias de jogos.