Indústria

Seleção americana bate recorde histórico de vendas na Nike

Camisa do time feminino para a Copa é a peça de futebol mais vendida de uma única temporada da história da marca

1 jul, 2019

Semifinalista da Copa do Mundo de Futebol Feminino, a seleção norte-americana acaba de entrar para a história da Nike, sua icônica fornecedora de material esportivo. A camisa principal de jogo dos Estados Unidos para o torneio se tornou a peça de futebol mais vendida de uma única temporada da história da empresa.

“A camisa da seleção feminina dos EUA agora é a camisa de futebol número 1, masculina ou feminina, já vendida no Nike.com em apenas uma temporada. A exposição está impulsionando vendas extraordinárias em uniformes, sutiãs de alto desempenho e linha lifestyle”, comemorou o CEO da marca, Mark Parker, em entrevista ao Business Insider.

Importante destacar que dois terços dos 24 países que participaram da Copa do Mundo deste ano são patrocinados pela gigante americana, enquanto quase metade das jogadoras utilizou chuteiras com o swoosh estampado. Além das camisas, o profissional destacou outra peça que ganhou espaço dada a exposição do Mundial: o sutiã esportivo. Segundo o CEO, a Nike se tornou a maior vendedora desta peça na América do Norte pela primeira vez na história da companhia.

“É difícil mensurar a importância deste ano para a evolução da categoria feminina na Nike”, completou.

O recorde só ratifica a importância da necessidade de discutir a equidade de salário entre gêneros pós-Copa. Nos últimos dias, o tema ganhou ainda mais repercussão, depois que o The Wall Street Journal revelou que a equipe feminina gerou mais receita que a masculina entre 2016 e 2018. Enquanto as mulheres arrecadaram US$ 50,8 milhões no período, os homens conseguiram US$ 49,9 milhões. Ainda segundo a publicação, o processo movido pelas jogadoras americanas critica o fato de que, entre março de 2013 e dezembro de 2016, período do último acordo de negociação coletiva, as mulheres não poderiam ganhar mais do que US$ 99 mil, ou US$ 4.950 por jogo, para disputar 20 jogos em um ano. O valor seria 62% menor do que um membro da seleção masculina poderia ganhar com o mesmo número de partidas.

Atualmente, as jogadoras do USWNT, recebem um salário dos seus respectivos clubes e benefícios pagos pela US Soccer, além de bônus por representar a seleção. Os jogadores masculinos, no entanto, recebem salários e benefícios muito maiores.