Indústria

Com metas ‘real-time’, Vasco se torna o clube com mais sócios no país

Clube agora espera explorar ao máximo os dados obtidos sobre seu torcedor e reverter em novos negócios

4 dez, 2019

De 34 mil para 150 mil sócios-torcedores. E contando. Na tarde de terça-feira (3), o Vasco desbancou o Flamengo e se tornou o clube com mais associados do futebol brasileiro. Há duas semanas, porém, figurava na oitavo posição, atrás de Sport, Bahia, Corinthians, Grêmio, Atlético-MG, Internacional e do rival rubro-negro.




A ascensão no ranking foi resultado de uma forte campanha que aproveitou a Black Friday e ofereceu descontos nos planos disponíveis no Sócio Gigante, o programa cruz-maltino. O boom foi motivado também por conta da mobilização de jogadores do atual elenco, como Leandro Castán e Thalles, ex-atletas do clube, como Carlos Germano e Edmundo, bem como artistas vascaínos.

Diferentemente do que muitos imaginam, a categoria mais barata, que foi de R$ 7,98 para R$ 4, não é a que teve o maior número de adesões. Em conversa exclusiva com o MKTEsportivo, Eduardo Sá, diretor executivo do Vasco, afirmou que o carro-chefe tem sido o plano Caldeirão, que sai por R$ 12,49/mês.

“O plano Caldeirão tem mais de 55 mil pessoas. Somente ele é maior que muito programa de sócio-torcedor no Brasil”, disse o profissional, que chegou ao clube em junho. Sá ainda afirmou que Espirito Santo, Minas Gerais, Distrito Federal, Bahia e Santa Catarina foram os estados que mais registraram adesões depois do Rio de Janeiro.

O esforço promocional iniciou na virada de outubro para novembro com o objetivo modesto de sair dos 34 mil para 45 mil associados. Com o início da campanha, o foco tornou-se o 90 mil. O alto engajamento do torcedor nas redes sociais e, principalmente, em conversão dentro dos planos disponíveis, forçou o Vasco a propor novas metas e aumentar o período da campanha, indo além da Black Friday. Segundo Eduardo, a estratégia adotada foi a de acompanhar em ‘real-time’ tudo o que acontecia para que novos desafios fossem lançados instantaneamente.

Em menos de uma semana, o clube já havia batido a marca de 100 mil sócios. Agora, promove-se os 200 mil.

“Tínhamos uma meta dentro do planejamento, mas batemos muito rápido devido a resposta maravilhosa de engajamento e mobilização da torcida vascaína. Como foi muito rápido, fizemos ajustes e passamos a propor desafios em um esquema real-time, olhando sempre para o próximo objetivo, o dos 80 mil, 100 mil, 150 mil…No fim, optamos por postergar a campanha”, completou.

O resultado deste engajamento nacional será visto nos cofres do clube. Se o faturamento anterior do Sócio Gigante era de R$ 1.3 milhão mensais, agora esse número mais do que dobrou. No momento, antes de pensar em como reter este torcedor pelos próximos seis meses, o Vasco está focado em levar o melhor serviço possível ao seu associado a partir da valiosa base de dados obtida.

“O momento ainda é de execução e 100% de foco na operação para atendermos nossos fãs da melhor maneira possível. Após o fim da campanha, fecharemos o planejamento para 2020”, finalizou.

Daqui em diante, o objetivo é fomentar a paixão do torcedor independentemente do resultado em campo. Afinal, o crescimento de quase 20 mil associados ocorreu enquanto o Flamengo havia acabado de ser campeão da Libertadores e do Brasileiro.