Indústria

Figueirense rompe com Topper e terá marca própria

Nome da nova marca, 1921, foi definido em votação feita pela internet

16 dez, 2019

O Figueirense será mais um clube do futebol brasileiro a ter marca própria de material esportivo a partir de 2020. O anúncio ocorre logo após o Ceará oficializar que também seguirá um caminho independente. Para gerar mais engajamento da torcida, o Alvinegro deixou para que seus torcedores definissem o nome da fabricante.

Das seis opções disponíveis (Furacão, 1921, Furacão 1921, Figueira, FFC e FFC 1921), venceu 1921, em alusão ao ano de fundação da equipe, com 30,56% dos votos. Furacão, com 20,92%, e Figueira, com 17,63%, ficaram na segunda e na terceira posições, respectivamente.

De acordo com comunicado do Figueirense, a etapa seguinte também envolve o torcedor. Os alvinegros podem enviar desenhos entre terça e quarta-feira com sugestões de uniformes. Os três selecionados serão definidos novamente por meio de enquete. A votação para decidir os uniformes de 2020 acontecerá entre às 19h do dia 18 e às 18h do dia seguinte. O modelo vencedor será anunciado na noite de quinta-feira (19) pelas nas redes sociais do Figueira.

O responsável pelo design do uniforme vencedor vai receber uma camisa oficial e terá direito também a um par de ingressos para o Setor A do Scarpelli para a partida de estreia do time no Catarinense. Além disso, vai ser convidado a ajudar os roupeiros do clube a organizar o vestiário da equipe para o jogo de estreia no mesmo torneio.

O clube ainda vai disponibilizar os canais para o envio dos desenhos dos torcedores. Os alvinegros terão de mandar dois modelos oficiais de jogo, que engloba: camisas de jogadores de linha número 1 (alvinegra) e número 2 (branca), e também dois modelos para os uniformes dos goleiros.

Sobre colocar o torcedor no centro da campanha, na última semana, o EC Bahia apresentou os uniformes para a próxima temporada que foram escolhidos em votação pelos torcedores e já colocou à venda as camisas em sua loja virtual.

O uso de marcas próprias no Brasil começou em 2017, um ano após o Paysandu ter apostado no modelo e obter sucesso. A partir de então, os clubes de médio e pequeno porte começaram a adotar a fabricação própria como o melhor caminho para fazer o produto chegar às mãos do torcedor e faturar mais.

Nome da nova marca, 1921, foi definido em votação da torcida na internet