Patrocínio

Com Nicholas Latifi, Canadá domina investimentos na Williams

Três marcas canadenses investirão na escuderia em 2020 fruto da presença de piloto

14 jan, 2020

O dinheiro segue ditando a presença dos pilotos no cockpit das escuderias da Fórmula 1. Com o canadense Nicholas Latifi confirmado na Williams para 2020, empresas ligadas ao piloto e ao país da América do Norte estão investindo na equipe.

O Royal Bank do Canadá tornou-se o novo patrocinador da escuderia para a próxima temporada. Pelo acordo, o banco terá a marca estampada no bico do carro da equipe e, além disso, fará diversas ações de relacionamento durante as provas.

“Liberar o potencial de jovens atletas e de jovens em geral é uma prioridade para a RBC, e essa parceria nos permitirá continuar a apoiar o talentoso piloto canadense Nicholas Latifi, quando ele faz sua estreia na Fórmula 1”, disse o vice-presidente de marketing de marca do Royal Bank, Matt McGlynn

Além do Royal Bank, a marca de cafés Lavazza também chegou ao time inglês após a chegada de Latifi. O piloto é embaixador das duas empresas. Ambos acordos podem ser considerados um alívio para os cofres da Williams, que havia perdido a parceria com a petrolífera PKN Orlen após a saída do piloto Robert Kubica. O polonês, por sua vez, levou a empresa para a Alfa Romeo.

Vale lembrar que a Sofina Foods, empresa de alimentos canadense que irá patrocinar a Williams em 2020, é de propriedade de Michael Latifi, pai de Nicholas, que também assegurou um valor de € 30 milhões para a escuderia com a chegada do piloto.