Patrocínio

Federação inglesa veta transmissão da FA Cup por casas de apostas

A decisão foi tomada após a Bet365 disponibilizar jogos da competição para seus clientes

8 jan, 2020

A Associação Inglesa de Futebol (FA) irá alterar a estratégia de venda de direitos de transmissão de jogos da FA Cup para casas de apostas a partir de 2023/2024. A temporada culmina com o término do contrato de seis anos que a agência IMG possui para explorar esse tipo de negócio dentro do torneio.

A decisão foi tomada após o Daily Mail publicar uma matéria que aponta que jogos da competição estiveram disponíveis para clientes da casa Bet365, ferindo diretamente uma decisão tomada pela FA em 2017 de se distanciar de parcerias com empresas do setor de jogos de azar.

Nos dias 4 e 5 de janeiro, os jogos da competição (menos aqueles que começaram às 13h13 do sábado) estiveram disponíveis para clientes da Bet365 que tinham pelo menos £ 5 na conta.

Vale lembrar que a venda dos jogos do futebol inglês para serem veiculados para as casas de apostas é hoje uma grande fatia de arrecadação das ligas e entidades. No começo de 2017, por exemplo, a FA vendeu os direitos doméstico e global para casas de apostas da FA Cup para a IMG por um US$ 121.7 milhões por temporada.

Logo em seguida, a entidade decidiu não ter relação com empresas de jogos de azar, segmento este que tem sofrido severas críticas na Inglaterra por causar dependência e levar pessoas à falência.

Na ocasião, a FA rescindiu contrato que tinha com a Ladbrokes que valia £ 4 milhões por ano para reforçar o seu novo posicionamento. Ocorre que, antes, a IMG já havia negociado com a Bet365 os direitos para a FA Cup para a temporada 2018/2019. Em 2018, o país já havia proibido anúncios de apostas na Tv durante transmissões.

“Este acordo foi fechado antes de tomarmos uma decisão clara sobre o relacionamento da FA com as empresas de jogos de azar em junho de 2017, quando encerramos nossa parceria com a Ladbrokes. Vamos revisar esse elemento do processo de vendas de direitos de mídia antes dos direitos de licitação para o novo ciclo a partir da temporada 2024-25. Ligas e clubes continuam a governar seus próprios relacionamentos com empresas de jogos de azar”, destacou o posicionamento da FA após a matéria do Daily Mail.

A legislação britânica ativou uma série de restrições para as transmissões feitas pelas casas de apostas. Entre elas, a qualidade de streaming mais baixa e limite de tamanho de tela para assistir à partida.