Indústria

Após incidente contra Hoffenheim, Bayern Munique cria comissão

A iniciativa visa elaborar medidas que entrarão em vigor para brecar casos de racismo, anti-semitismo, sexismo, homofobia e demais tipos de exclusão

2 mar, 2020

Após o protesto de torcedores do Bayern de Munique contra Dietmar Hopp, investidor do Hoffenheim, que incluiu cânticos e até uma faixa ofendendo o empresário, o clube decidiu fundar uma comissão interna para tratar deste e de outros assuntos. A iniciativa visa elaborar medidas que entrarão em vigor a curto e médio prazo para brecar casos de racismo, anti-semitismo, sexismo, homofobia e todos os tipos de exclusão.

Hopp é um dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna estimada em € 13 bilhões. Fundador da empresa de software SAP, há mais de uma década ele decidiu investir parte do seu patrimônio no Hoffenheim, seu time do coração.

Tal investimento irrita a torcida de muitos rivais, que consideram que o patrocínio torna o futebol um esporte cada vez mais artificial e capitalista e menos equilibrado. Na Alemanha, a insatisfação recai sobre clubes como o próprio Hoffenheim e o Red Bull Leipzig, que tem a Red Bull como única acionista.

A comissão atuará em colaboração com a equipe de investigação da polícia de Mannheim. Os membros também consultarão as autoridades locais e especialistas externos para definir as melhores práticas para coibir a atuação destes torcedores. Além disso, o Bayern está sugerindo uma reunião com o DFB, o DFL e todos os 36 clubes profissionais para discutir ações coordenadas e conjuntas sobre esse assunto.

De acordo com o gigante bávaro, incidentes como o de sábado não se repetirão, ratificando sua posição em prol da diversidade e tolerância.