Indústria

COI “acalma” parceiros e garante extensão de patrocínios de Tóquio para 2021

Havia grande receio das marcas em realizar qualquer ação para o evento em meio a um cenário de incerteza global

26 mar, 2020

A confirmação do adiamento dos Jogos Olímpicos para 2021 feita pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) na manhã desta terça-feira (24) gerou certa dúvida de como ficariam os patrocinadores diante do cenário. O presidente da entidade, Thomas Bach, afirmou que os aportes serão mantidos mesmo que os acordos tenham sido firmados com validade até o final de 2020.

Entres os players com contrato até dezembro, estão gigantes como General Electric, P&G e Dow Chemical. Já Allianz e Mengniu, que entrariam em 2021, terão vínculo ativado apenas em 2022.

“Entramos em contato com todos os patrocinadores e o que pudemos ver é que temos todo o apoio a essa decisão e agora trabalharemos para implementá-la. Para mim, é uma consequência lógica que os patrocinadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 mantenham seus direitos com o evento sendo realizado em 2021”, comentou Bach.

Por conta da pandemia do coronavírus, havia grande receio das marcas em realizar qualquer ação para os Jogos em meio a um cenário de incerteza global. Normalmente, os patrocinadores lançam ativações com foco no evento quatro meses antes do início do mesmo. Apesar da manutenção, o Japão sofrerá com a não-realização da Olimpíada e da Paralimpíada em 2020. A expectativa é de que o público traria US$ 2.3 bilhões para a economia japonesa.

Apesar de sua realização em 2021, os Jogos de Tóquio manterão o nome com “2020”, sendo assim, não será necessário alterar logomarca, mascote, site, redes sociais e tudo mais que envolve o evento.