Futebol

Sem acordo coletivo, CBF deixa para clubes definirem sobre paralisação

Uma reavaliação da situação ocorrerá em uma nova reunião marcada para o dia 15 de abril

27 mar, 2020

Na tarde de ontem, a Chapecoense divulgou que todos os 20 clubes da Série B do Campeonato Brasileiro optaram por dar férias coletivas de 20 dias a seus jogadores e suas comissões técnicas a partir de 1º de abril.

No mesmo dia, uma reunião entre 30 clubes do futebol brasileiro por meio de videoconferência definiu toda a concessão já citada. O encontro, que contou com a presença de dirigentes da CBF, ainda apontou para uma reavaliação da situação em novo encontro marcado para o dia 15 de abril.

Na reunião, os clubes rejeitaram uma contraproposta feita pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) de férias coletivas de 30 dias. Os envolvidos também desistiram de seguir adiante com uma determinação nacional para redução de 25% de salários dos jogadores.

Sem um acordo coletivo, ficou decidido que cada clube poderá negociar diretamente com seus atletas. Assim, os clubes da Série A seguirão o posicionamento da Série B. A CBF corroborou a decisão.

“Ficou definido apenas a concessão de férias. São 20 dias agora e reavaliação da situação no dia 15 de abril. Lá se avalia novamente o quadro. Sobre a questão salarial, não houve nenhuma resposta definida. Cada clube vai definir com seus jogadores. Até porque são realidades muito diferentes”, comentou o secretário-geral da CBF, Walter Feldman.

O executivo ainda falou sobre o pedido dos clubes para que não houvesse nenhuma mudança na fórmula dos pontos corridos das séries A e B, bem como a manutenção dos estaduais.

“Sim (pediram a manutenção), o Manoel Flores (diretor de competições da CBF) falou na reunião. Trabalhamos com expectativa otimista de não haver nenhuma alteração nos campeonatos. Vamos tentar encontrar datas pelas liberações de Copa América, Eliminatórias… Ainda é uma visão conservadora, sem ajustes, sem alterar essência de nada”, completou o dirigente.