Atletas

Após racismo em prova virtual da Nascar, piloto perde três patrocinadores

Kyle Larson foi afastado pela categoria e ainda perdeu o apoio da Credit One Bank, Chevrolet e McDonald’s

14 abr, 2020

Considerada uma das principais iniciativas de marketing para driblar a pandemia, a competição virtual da Nascar ficará marcada por um caso grave de racismo. Em meio à disputa de uma das etapas do torneio, que tem substituído as provas regulares do calendário, o piloto Kyle Larson disse: “Não consegue me ouvir, seu negro?”.

O áudio de todos os pilotos estava aberto para a transmissão feita no site iRacing.com e Larson foi prontamente suspenso por tempo indeterminado pela categoria. Além disso, ele perdeu os patrocínios do banco Credit One Bank, da montadora Chevrolet e do McDonald’s, além de ter sido afastado pela equipe Chip Ganassi. As três empresas anunciaram fim de seus contratos na tarde de ontem.

“A Nascar fez da diversidade e da inclusão uma prioridade e não tolerará o tipo de idioma usado por Kyle Larson durante o evento iRacing. As nossas diretrizes de conduta dos membros são claras a esse respeito e vamos aplicá-las para manter um ambiente inclusivo para toda a nossa indústria e base de fãs”, disse a Nascar ao comunicar a suspensão.

Antes de ser penalizado, Larson publicou um vídeo com um pedido de desculpas em suas contas no Twitter e Instagram, que possuem, somadas, mais de 600 mil fãs.