Indústria

Bastidores | O impacto do adiamento dos Jogos Olímpicos na estratégia das marcas

1 abr, 2020

O adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021 ligou um alerta não somente para os patrocinadores envolvidos no evento, mas também para toda a cadeia esportiva que compreende atletas, emissoras e federações internacionais de cada modalidade. Chegar a decisão final não foi fácil para o Comitê Olímpico Internacional.

“Houve uma pressão muito grande para o COI chegar na decisão de adiar os Jogos. É algo difícil com tantos acionistas na mesa. Não são somente os patrocinadores, atletas ou federações internacionais. É o Japão, o comitê organizador local, são os fornecedores, agências e marcas. É um mundo envolvido para tomar uma decisão”, disse Rafael Plastina, diretor executivo da Sport Track.

Bastidores | O sucesso nada planejado do álcool gel de Ceará e Fortaleza

Bastidores | Como manter programas de sócio em meio ao coronavírus?

Nos últimos três meses, o profissional esteve na Suíça dentro de uma federação internacional de esporte vivendo o início e o apogeu da crise. Nos bastidores, as parceiras passaram a rever as ações planejadas e agora olham para um calendário que ficou vago, pelo menos, até julho de 2021. O que fazer? Para Plastina, é hora de integrar as estratégias entre os ativos que cada marca dispõe.

“Eventos, esportes e atletas são canhões de mídia digital. Há a necessidade agora de integrar as estratégias comerciais de patrocinadores com o potencial de gerar engajamento e proximidade da marca com os fas. O digital, mais do que nunca, passa a ser a grande estrela e fundamental no atual cenário”, completou.

Confira o vídeo completo do terceiro capítulo da série ‘Bastidores’:

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por MKTEsportivo (@mktesportivo) em