Futebol

Sem jogos, Premier League calcula perdas de £ 1 bilhão

Projeção veio depois que a liga e alguns times foram criticados por aproveitarem uma linha de crédito especial lançada pelo governo

8 abr, 2020

As principais frentes do futebol inglês se reuniram nesta semana e afirmaram que a paralisação do calendário por conta da pandemia pode gerar um prejuízo de £ 1 bilhão e levar várias equipes à falência.

Na Inglaterra, a projeção feita por Richard Masters, CEO da Premier League, veio depois que a liga e alguns times foram criticados por aproveitarem uma linha de crédito especial lançada pelo governo para pegarem empréstimos a juros baixos e pagarem os salários de funcionários dos clubes.

Leia também: LaLiga calcula prejuízo de até € 679 milhões com coronavírus

Os líderes da Associação de Futebol da Inglaterra e da elite inglesa já escancararam suas preocupações, enquanto os jogadores rejeitaram diminuir seus salários com o argumento de que a medida só beneficiará os proprietários dos clubes.

Masters enviou uma carta ao chefe da comissão desportiva do Parlamento, Julian Knight, para defender a decisão de utilizar a linha de crédito.

“O esquema anunciado pelo governo é para toda a economia, incluindo muitas empresas que estão no campo do entretenimento ou que dependem de grande talento. Não apenas nossa indústria está enfrentando perdas, mas para ser realista, precisamos basear nossos planos pensando que leva muito tempo para nos recuperar completamente”, disse o CEO da Premier League.

Como resposta, Knight, um deputado conservador da Câmara dos Comuns, disse que Masters “defende o indefensável”, justificando que as equipes da primeira divisão usem “o dinheiro do programa do governo”.

Na semana passada, a Premier League se posicionou oficialmente e descartou um retorno até, pelo menos, o mês de maio. A liga inglesa informou que está trabalhando em estreita colaboração com todo o futebol profissional do país, bem como com o governo, órgãos públicos e outras partes interessadas para garantir que se alcance uma solução colaborativa. Neste caso, as partidas só voltarão ao normal quando todos estiveram seguros, o que ainda não tem uma data prevista.

A Premier League ainda destinará £ 125 milhões para ajudar a EFL e National League (da 2ª até a 6ª divisão do futebol inglês). Outros £ 20 milhões serão investidos imediatamente no sistema de saúde para colaborar com os grupos vulneráveis ​​durante a pandemia do novo coronavírus.

“Nossa indústria não tem enfrentado perdas apenas agora. Para ser realista, também devemos basear nossos planos de recuperação total a uma certa distância. Em último caso, se as perdas forem muito pesadas, clubes fecharão”, completou Masters.