Futebol

Afinal, a Under Armour não tem mais interesse no futebol brasileiro?

No momento, marca americana não possui nenhum investimento na modalidade no país

15 maio, 2020

A Under Armour chegou ao futebol brasileiro em 2014. Inicialmente, a marca fechou um acordo de exclusividade com o São Paulo buscando reconhecimento do público e ganhar espaço em um concorrido mercado.

Considerada uma parceria de sucesso pela empresa, ela deixou o clube paulista em 2017 e firmou acordos com Sport e Fluminense. Enquanto o primeiro deixou a companhia meses após o início do acordo, o Tricolor encerrou seu contrato no final de dezembro ao anunciar a chegada da Umbro.

A saída da dupla resultou na ausência de um clube de futebol do país em seu portfólio, o que fez com que muitos colocassem em dúvida o futuro da companhia na modalidade em território nacional. Mas afinal, qual o motivo para não ter novos acordos do tipo? Eduardo Aguiar, gerente de marketing da Under Armour, falou sobre o tema no MKTEsportivoCast, o podcast oficial do MKTEsportivo.

“Foi uma conjunção de fatores, tanto do momento global da marca, quanto local, do entendimento de como, partindo da missão e propósito da marca, poderíamos construir e focar nossos esforços em outras categorias”, disse o profissional.

Sobre o citado momento da marca no país, é necessário voltar para o final de 2018, quando a companhia americana passou a ser comandada pela Vulcabras no Brasil. O acordo de dez anos dá direito exclusivo à empresa de fazer a comercialização, distribuição e licenciamento da empresa no mercado nacional. Esta troca no comando acabou acelerando os planos e alterando as estratégias da Under Armour por aqui.

“Globalmente, falamos de futebol e, no Brasil, poderemos seguir falando da modalidade. Não ter hoje um clube no portfólio é uma questão de foco e reunir esforços em conseguir ser grande em duas categorias que temos focado, que é o training e running”, completou.

Tanto é verdade que, na Europa, a marca segue patrocinando nomes importantes do cenário global, como Alexander-Arnold, lateral do Liverpool, destaque absoluto na posição.

“A Under Armour não saiu do futebol brasileiro, só não temos hoje um clube patrocinado”, finalizou Eduardo.