Indústria

Após publicação racista, Greg Glassman vende CrossFit por US$ 4 bilhões

Investidor americano Eric Roza é novo proprietário e CEO da marca americana

26 jun, 2020

Após ter seu nome envolvido em uma polêmica racista no Twitter, a marca CrossFit anunciou uma mudança de proprietário e CEO. O autor da publicação, Greg Glassman, deixará o seu cargo e terá Eric Roza, investidor americano que, entre outras empresas, fundou a Datalogix, no seu lugar. De acordo com o Yahoo Finance, a negociação foi concretizada por US$ 4 bilhões.

Tudo começou quando ele ironizou um post feito pelo Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME) sobre racismo. A postagem do instituto diz que o racismo é uma questão de saúde pública.

Em tom irônico, Glassman respondeu ao tuíte com “É FLOYD-19”, em alusão a morte brutal de George Floyd por quatro policiais brancos em Minneapolis e colocando na conta dos protestos o aumento dos casos de infectados por coronavírus.

Além de donos de box de crossfit nos Estados Unidos retirarem a marca dos seus negócios, o ponto alto veio quando a Reebok comunicou que não renovaria a parceria com a marca, que já durava uma década. Além dela, a especializada Rogue Fitness, que havia sido a fornecedora de equipamentos para muitos eventos do CrossFit na última década, incluindo os CrossFit Games, também repudiou o tweet de Glassman e anunciou seu afastamento.